Papa é presenteado com um cocar da etnia Pataxó

Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – Em mais um momento de descontração, o papa Francisco usou hoje (27) um cocar que ganhou de presente do índio pataxó da Bahia Ubiraí, durante cerimônia no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Francisco benzeu indígenas, vestidos com seus trajes típicos, e agradeceu o presente de Ubiraí. O pontífice também recebeu representantes de religiões afrobrasileiras. A iniciativa do papa foi comemorada pelos não católicos e representantes da sociedade civil.

Ubiraí e mais três indígenas da aldeia Coroa Vermelha, em Porto Seguro, na Bahia, cumprimentaram o papa. Todos estavam vestidos com os trajes típicos e as pinturas corporais tradicionais de sua etnia. As indígenas se ajoelharam e beijaram a mão do papa, que retribuiu benzendo-as na testa. Todos se disseram católicos.

O conselheiro estratégico do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (Ceap) e da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (Ccir), o babalaô Ivanir dos Santos,  disse à Agência Brasil que foi um “encontro histórico”.

Santos aproveitou o encontro para presentear Francisco com o livro que conta sobre as manifestações em favor da liberdade religiosa, intitulado Caminhando a Gente Se Entende, que reúne fotografias das quatro últimas edições dos protestos. “O papa receber um indígena e um candomblecista  é muito simbólico”, ressaltou.

Notícias Relacionadas