Maquinista do trem que descarrilou na Espanha é acusado de homicídio

BBC Brasil

Madri (Espanha) – O ministro do Interior da Espanha, Jorge Fernandez Diaz, disse que o condutor do trem que descarrilou essa semana matando 78 pessoas foi acusado de “homicídio por imprudência”. Segundo ele, o maquinista Francisco José Garzon Amo, de 52 anos, que ficou levemente ferido no acidente, foi levado para uma delegacia.

Garzon é suspeito de dirigir rápido demais em uma curva. Os relatórios dizem que o trem estava a uma velocidade de 190 quilômetros por hora (km/h), sendo que a velocidade máxima permitida é  80 km/h, no local onde ocorreu o acidente.

Pelo menos 130 pessoas foram levadas ao hospital após o acidente, que ocorreu há três dias, em Santiago de Compostela, no Noroeste da Espanha. Trinta e duas pessoas ficaram gravemente feridas, incluindo crianças. Um brasileiro, que também tem nacionalidade espanhola, de 25 anos, morreu no acidente.

O trem fazia a rota Madri e Ferrol. Nele, havia mais de 200 passageiros a bordo, de acordo com a operadora de trens do país, Renfe. Muitos passageiros ficaram presos nas ferragens. Todos os 13 vagões, segundo investigações, saíram dos trilhos e quatro tombaram.

Notícias Relacionadas