Polícia Civil do Rio soma 62 prisões em flagrante nas manifestações desde 10 de junho

Paulo Virgilio
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – De 10 de junho até agora, 62 pessoas foram presas em flagrante nas diversas manifestações na região metropolitana do Rio de Janeiro, entre elas 25 menores apreendidos. Todas por atos de violência como furto qualificado, formação de quadrilha e porte de explosivos. O balanço foi divulgado na tarde de hoje (18) pela Polícia Civil do Rio. De acordo com o levantamento, 37 dos presos foram liberados mediante o pagamento de fiança.

Na manifestação da noite de ontem (17) e madrugada de hoje, no bairro do Leblon, na zona sul da capital, 9 pessoas foram presas em flagrante, todas autuadas por formação de quadrilha. Oito pagaram fiança, como prevê a lei, e foram liberadas, mas uma, por ser flagrado com artefato explosivo, ficou presa.

Além das prisões em flagrante, investigações conduzidas pela 5ª Delegacia Policial, no centro do Rio, identificaram em redes sociais e durante os protestos 7 pessoas. Cinco delas foram autuadas por incitação à violência e duas por apologia ao crime, delitos de competência do Juizado Especial Criminal (Jecrim). Todas depuseram e foram liberadas.

Segundo o balanço da Polícia Civil, o maior número de prisões na capital fluminense ocorreu na manifestação de 17 de junho, durante a depredação da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), quando foram detidas 13 pessoas e apreendidos dois menores. No dia seguinte, nos protestos nas cidades de Niterói e São Gonçalo, ocorreram 14 prisões em flagrante e duas apreensões de menores.

Notícias Relacionadas