Papa terá um esquema de segurança de 14 mil militares em sua visita ao Rio

Isabela Vieira
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – Cerca de 14 mil militares estarão de prontidão para ações de defesa nacional e de segurança pública durante a visita do papa Francisco ao Brasil, entre os dias 22 e 28 de julho. As Forças Armadas mobilizarão 10,2 mil soldados, sendo que 7 mil atuarão no Campus Fidei, onde o pontíficie fará a aparição final. O restante do esquema montado será formado por policiais da segurança pública do estado.

O papa participá, no Brasil, da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), quando celebrará uma missa na Basílica de Aparecida, em São Paulo. Durante sua estada, no Rio, ele ficará hospedado na residência do Sumaré.

Essa é a primeira viagem ao exterior do papa. A programação de Francisco é intensa: visita aos moradores da comunidade da Varginha, conversa com presos e concede a bênção para os doentes de uma instituição mantida por doações.

Francisco será recebido pela presidenta Dilma Rousseff; pelo governador do Rio, Sérgio Cabral; pelo prefeito da capital fluminense, Eduardo Paes; pelo arcebispo do Rio, dom Orani João Tempesta; e pelo arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Raymundo Damasceno Assis. Os deslocamentos serão feitos em um helicóptero.

Notícias Relacionadas