Obama e família visitam prisão na ilha onde Mandela ficou preso por 18 anos

Renata Giraldi
Agência Brasil

Brasília – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visitou hoje (30) a Ilha de Robben, na qual o ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, Prêmio Nobel da Paz em 1993, ficou preso por 18 anos durante o regime de apartheid (segregação racial). Obama chegou ao local de helicóptero e teve como guia um ex-detento e companheiro de luta de Mandela, Ahmed Kathrada, 84 anos.

A visita da família Obama à Ilha de Robben ocorre no momento em que Mandela, de 94 anos, está internado em estado crítico, mas estável. Ele foi hospitalizado em Pretória há três semanas devido a uma infecção pulmonar.

No livro de visitas da prisão, Obama escreveu que viu “com humildade” o local onde “homens de coragem enfrentaram a Justiça e se recusaram a se curvar”. “O mundo está grato aos heróis da Ilha de Robben, que nos lembram que nem grades nem celas têm a força do espírito humano”, destacou a primeira-dama norte-americana, Michelle Obama, na sua mensagem no livro de visitas.

As filhas de Obama, Malia e Sasha, também participaram da visita. Na ocasião, o presidente e a mulher explicaram às filhas que o conceito de não violência política tem raízes na África do Sul. No final da tarde, a família Obama se reúne com  Desmond Tutu, Prêmio Nobel da Paz em 1984.

Em 1963, Mandela ficou seis semanas detido na Ilha de Robben. Depois passou mais 18 anos na ilha até 1982, quando foi transferido para outras prisões até a sua libertação em fevereiro de 1990. Mandela ficou 27 anos preso.

Notícias Relacionadas