Bandido acusa menor de matar menino boliviano em São Paulo

CLÁUDIO HUMBERTO

Como ocorre na maioria dos crimes praticados por quadrilhas, um menor está sendo apontado como o autor do tiro que executou o garotinho boliviano Brayan Yanarico Capcha, de 5 anos, durante assalto à casa de sua família na madrugada de sexta (28), em São Mateus, na zona leste de São Paulo.

Um dos integrantes do bando, de 18 anos, preso ontem, foi logo dizendo que foi um adolescente que assassinou o menino.

No Brasil, a lei protege o menor bandido, por isso, independente da gravidade do crime, permanece no máximo três anos “apreendido” em uma instituição para “menores infratores”, de onde sai pós-graduado em banditismo e com a ficha limpa.

A polícia afirmou que Paulo Ricardo Martins, 19, que culpou o adolescente, e Felipe dos Santos Lima, 18, foram reconhecidos por testemunhas. Martins também apontou três outros comparsas, que passaram a ser procurados pelos policiais, mas ainda não foram localizados –a polícia não informou se havia ou não um sexto assaltante, como divulgado na sexta (28).

O garotinho Brayan, a mãe e o pai, Edberto Yanarico Quiuchaca, 28, foram levados para a parte de cima do sobrado invadido pelos bandidos, e mãe chegou a entregar R$ 3.500 aos ladrões.

Segundo a costureira Veronica Capcha Mamani, 24, os ladrões, insatisfeitos com os R$ 4.500 entregues, deram um tiro na cabeça do menino, que chorava. (Coluna de Cláudio Humberto)

Notícias Relacionadas