Aprovação de Lula cai bem menos que a de Dilma, mostra Datafolha.

As mais de três semanas de protestos impactaram profundamente a pré-candidatura de Dilma Rousseff (PT) à Presidência em 2014, mostra uma pesquisa do Datafolha, publicada na edição deste domingo da “Folha de S.Paulo”. O levantamento mostra que a taxa de intenção de votos na presidente caiu 21 pontos percentuais, estando atualmente em 30% — ou seja, ela ainda lidera, mas teria que disputar um segundo turno com Marina Silva (Rede Sustentabilidade), cujas intenções cresceram de 16% no ínicio de junho para 23%. Neste cenário, foram incluídos Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSDB).

A pesquisa que ouviu mais de 4 mil pessoas em 196 cidades, mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sofre uma queda muito menor de popularidade do que Dilma, e venceria no primeiro turno, num cenário contra Marina, Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB). Lula, que tinha 55% das intenções de voto no início de junho (antes dos protestos), tem 46%; seguido por Marina e Aécio.

Mesmo negando ser candidato, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, viu suas intenções de voto dobrarem do início de junho para cá: contra Dilma, Barbosa passou de 8% para 15%; já contra Lula, de 8% para 13% — se Barbosa se candidatasse num cenário contra Lula, o ex-presidente provavelmente disputaria um segundo turno. Já Aécio Neves aparece na terceira colocação em todos os cenários, menos se Barbosa disputar a Presidência: os dois ficariam em empate técnico.

Marina Silva, que tenta viabilizar o seu partido Rede Sustentabilidade, foi a que mais subiu nos quatro cenários pesquisados pelo Datafolha: entre sete pontos (com Dilma e sem Barbosa) e dois (com Lula e com Barbosa). Aécio Neves cresce entre três pontos (com Dilma) e um (com Lula). (O Globo)

Notícias Relacionadas

2 Comentários

  1. Antonio Milhomem Marinho

    Tanto Dilma, quanto Lula ganham qualquer desses pretensos candidatos em 2014. Quem vai aproximar-se é Marina Silva.

  2. LAERCIO CANAZZA

    Senhores,
    A Presidenta vem pedindo verba dos ROYALTIES, há muito tempo, para educação. Desonerou impostos para compra de geladeira. Desonerou impostos para compra de fogão. Desonerou impostos parta compra de carros. Desonerou impostos na conta de Energia Elétrica. Todos criados pela oposição. Foi uma festa. O Governo desonera ainda desde o mês de abril. Vejam é só clicar no sítio seguinte: http://economia.estadao.com.br/noticias/economia-brasil,governo-corta-impostos-de-14-setores-e-prepara-novas-desoneraoes,149611,0.htm Isto sem contar o imposto do cheque criado pela oposição, derrubado neste governo. Podem aguardar a volta deste se eles ganharem. Em todo este vandalismo não se ouviu uma ofensa à nossa Presidenta. Não tenho partido, já votei na Doutora Fegalli para senadora, quando lhe furtaram os votos na recontagem. Se houve recontagem é porque houve erro ou vontade de sabotar. Não é confiável o sistema. Já votei no Cesar Maia, Sérgio Cabral, Picciani, Moreira Franco, Na Presidenta e outros que no momento não me lembro. Um arrependimento foi não ter votado no Lula. Alguns insistem em Lula, mas pensa em vice. Acredita que ele não resistirá e assim conseguirão a Presidência. Não sou ligado a partido e voto com o meu entendimento. Uma vez falei com um vizinho para se candidatar a Prefeito e ele veio com a resposta que iria roubar muito. Cuidado na hora de trocar seu deputado, Senador ou Presidenta, pode não ser um bom negócio. O Ministro Barbosa não leva meu voto. Explico: A nossa República tem três poderes. Se você vota em um candidato do Judiciário vamos ter apenas dois. Ficariam só o Legislativo e o Judiciário. O Executivo ficaria acoplado ao Judiciário. Que maravilha né. O Militar não pode ser candidato o mesmo deveria acontecer no Judiciário, que só poderia se candidatar após dez anos de seu desligamento. Ou permitir que o Militar possa se candidatar. O ministro Joaquim Barbosa está sendo usado para confundir os eleitores. Quem divulga não vota Nele. Se ele não fosse Juiz eu votaria.

Comentários estão suspensos