Polícia Militar bota os ‘burgueses’ da FTC para correr usando bombas e gás

A PM confirma que utilizou bomba de gás e balas de borracha como técnica policial no intuito de evitar o uso da força física. Um manifestante confessou: "O Batalhão de Choque da PM chegou atirando, sem dar qualquer aviso prévio. Todos os dias a gente vê manifestação em Salvador e isso nunca aconteceu&quot.(Foto: Reprodução/A Tarde)
A PM confirma que utilizou bomba de gás e balas de borracha como técnica policial no intuito de evitar o uso da força física. Um manifestante confessou: “O Batalhão de Choque da PM chegou atirando, sem dar qualquer aviso prévio. Todos os dias a gente vê manifestação em Salvador e isso nunca aconteceu”.(Foto: Reprodução/A Tarde)

Estudantes de Medicina da FTC bloqueiam Avenida Paralela
Estudantes de Medicina da FTC bloqueiam Avenida Paralela
REDAÇÃO DO JORNAL DA MÍDIA

A Polícia Militar da Bahia resolveu, pela primeira vez, durante o Governo Wagner, agir com rigor contra os bloqueios de ruas e avenidas em Salvador, ações que repetidas vezes têm causado sérios transtornos à circulação de veículos na cidade.

Desta vez os manifestantes não eram comandados por sindicatos, movimentos sociais ou líderes comunitários, mas formados por professores e alunos do curso de Medicina da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), que bloquearam nesta terça-feira (4) quatro das cinco pistas da Avenida Paralela, no sentido Aeroporto, em protesto contra o atraso no pagamento dos salários dos docentes.

Os militares usaram gás de pimenta, balas de borracha e bombas de efeito moral para dispersar os manifestantes e liberar a via. A ação provocou pânico entre os manifestantes que correram em direção ao prédio da FTC. Oito estudantes foram feridos pelos projéteis e outros sentiram-se mal devido aos gases de efeito moral.

Estudante da FTC foi ferida na barriga por uma bala de borracha
Estudante da FTC foi ferida na barriga por uma bala de borracha
Segundo depoimento de um aluno da FTC ao G1, o bloqueio começou por volta das 9h, deixando uma das faixas livre para a circulação de veículos. “De repente, uns 30 minutos depois do início da manifestação, o Batalhão de Choque chegou atirando, sem dar qualquer aviso prévio”. Surpreso, arrematou: “Todos os dias a gente vê manifestação em Salvador e isso nunca aconteceu”.

O JORNAL DA MÍDIA sempre defendeu que a polícia aja com rigor, evitando ao máximo a violência, para garantir ao cidadão o direito de ir e vir e impedir que a vida normal da cidade seja prejudicada.

Vamos ver se, a partir de agora, as próximas manifestações realizadas em Salvador terão o mesmo tratamento — sejam os protestos realizados por sindicatos, movimentos sociais, líderes populares ou por “burgueses” como os professores e estudantes de Medicina da FTC, que foram postos a correr para se protegerem das balas de borracha e bombas de efeito moral.

Até então, os bloqueios de ruas e avenidas duravam horas e a Polícia Militar apenas dialogava com os manifestantes, evitando agir com rigor e deixando o caos se instalar na cidade.

Vamos esperar o próximo bloqueio de avenida acontecer para ver se a decisão de desobstruir as vias é mesmo para valer ou só será aplicada apenas contra manifestações que não sejam comandadas por sindicatos, partidos políticos, movimentos sociais ou líderes comunitários.

Notícias Relacionadas

15 Comentários

  1. Cesar

    Duvido que o governo vai permitir que a policia jogue bombas de gás em motoristas de ônibus, moradores do Bairro da Paz e nesses sindicalistas que a toda hora estão parando a cidade. Só acredito vendo. Os estudantes da FTC não são comandados por sindicato e pertencem a classe media. E os comunistas odeiam a classe media.

  2. katia

    Espero que um dia vc. não precise desses burgueses, que são os médicos ,que estão tratando de graça, nas clínicas e hospitais que a FTC não paga. Inclusive os burgueses que são filhos de pessoas que com muita dificuldade pagam o FIES para poder ver seus filhos serem pessoas decentes, que salvam vidas. Saúde a vc. que não precisa de médicos.

  3. Evilyn

    “…impedindo que a vida normal da cidade seja prejudicada.”

    É normal ter professores mal pagos e com salários atrasados ?
    O direito de ir e vir pode ter sido quebrado, mas também é um direito constitucional o direito à greve.

    O “jornalistinha” (ou a pessoa leiga) que fez essa matéria deve estudar mais antes de sair publicando esse tipo de notícia na internet.
    É por essas e outras que o Brasil não vai pra frente.

  4. Marcelo

    Cês não entenderam nada meninas, a materia mostra que até agora o governo não reprimia os bloqueios das avenidas realizadas por sindicatos e movimentos sociais mas bastou os burgueses botar as manguinhas de fora pra Wagner mandar dar umas porradas neles, entenderam??? Ou cês não leram a materia até o fim???

  5. Jonh

    Fico impressionado com o nível de jornalismo desta terra. Quer condenar manifestações, tudo bem! Mas ironizar dessa maneira é demais. Eta mídia de mentalidade provinciana!

  6. Carlos

    Wagner sempre deixou os sindicatos faserem o que queriam bloqueando as ruas e agora ataca os estudantes de medicina da FTC porque são burgueses. Triste Bahia.

  7. DR. RAFA DOIDO

    Parece que as alunas da FTC não entenderam mesmo a matéria. Não quero defender jornalista pois, sabemos que a nossa imprensa (pelo menos a maioria) não respeita direitos de ninguém e publica o que lhe convèm ou melhor, convém ao governo. Mas, estou sabendo que amanhã vai haver outra manifestação com bloqueio das pistas do Dique do Tororó (em razão de moradores daquela redondeza não aceitarem as modificações feitas no trafego daquela região). Mas, o pessoal, desta manifestação (moradores) são de associações de bairro que estão ligados aos “partidos vermelhos”. Desta forma, a PM jamais vai agir com o rigor que agiu contra os alunos da FTC. Esperem e vcs vão ver!

  8. Cilas

    Quando a PM resolver entrar em greve, toda a população deve ser contrária para “para restabelecer a ordem pública” e “garantindo assim o direito de ir e vir dos cidadãos” também. Pois quando outras classes vão lutar pelo direito, a PM corta, mas quando eles entram em greve, quer apoio da população. PM tem que trabalhar agora e tem que subir morro pra tocar tiro com traficante e não com meninas inocentes, como foi esse caso. PM é empregado do povo porque é povo que paga seu salário. Assim como Estado é também. Queria que essa manifestação fosse pessoas filhas de juizes, pra ver se dava nisso.Quando a PM resolver entrar em greve, toda a população deve ser contrária para “para restabelecer a ordem pública” e “garantindo assim o direito de ir e vir dos cidadãos” também. Pois quando outras classes vão lutar pelo direito, a PM corta, mas quando eles entram em greve, quer apoio da população. PM tem que trabalhar agora e tem que subir morro pra tocar tiro com traficante e não com meninas inocentes, como foi esse caso. PM é empregado do povo porque é povo que paga seu salário. Assim como Estado é também. Queria que essa manifestação fosse pessoas filhas de juizes, pra ver se dava nisso.

  9. Antônio Carlos

    Notícia vergonhosa de ser posta em site jornalístico. Depois quando aparece notícia de erro médico vão criticar o ensino, quando os próprios alunos querem mudar isso chamam-os de burguês e enchem de bala. Vergonha.

  10. Arthur

    Espero que quando você e sua família precisar de um serviço médico, seja atendido por algum desses “burgueses”, seu fdp!

  11. FTC - ESCLARECIMENTO

    NOTA DE ESCLARECIMENTO

    > Os alunos de Medicina da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) vêm através do presente comunicado esclarecer à população soteropolitana algumas questões essenciais acerca dos fatos ocorridos na manhã deste dia 04 de junho de 2013 na Av. Luis Viana Filho -Paralela.

    > Os protestos de professores e estudantes foram motivados, dentre outras coisas, pelo atraso no pagamento dos salários dos professores e da suspensão de convênios com hospitais que serviam de apoio para realização dos períodos de internato. Destaca-se que, foram realizadas, anteriormente, diversas manifestações internas e tentativas de diálogos com a diretoria da faculdade e autoridade públicas, sem qualquer êxito, contudo. Com o avançar do processo, tornou-se necessária a adoção de medidas que visassem a manutenção dos professores e da qualidade do curso. Lembramos que recente avaliação do MEC atestou a qualidade do Curso de Medicina da FTC, dando-lhe nota 4, numa escala de 0 a 5. Essa pontuação levou em conta a excelente qualidade dos professores, estrutura física, bom desempenho dos alunos, entre outros critérios. Foi, justamente, buscando impedir que esses critérios viessem a se perder que nos reunimos numa mobilização civil e pacífica de protesto.

    > A boa formação do profissional da área médica repercute, mais do que qualquer outra, em toda a sociedade, sendo certo que só estudantes bem formados, terão condição de atender a população com a qualidade e a responsabilidade necessárias. Desta forma, buscamos sensibilizar a população e dar notoriedade ao movimento que defende, não apenas o nosso curso, como também a qualidade do serviço medico que será prestado ao cidadão baiano. Esses desconfortáveis minutos de lentidão no trânsito, certamente, podem representar a salvação de muitas vidas que contarão com a capacidade profissional das centenas de médicos a serem formados pela FTC.

    > A redução do fluxo de veículos na Av. Luis Viana Filho não foi uma medida irracional, irresponsável ou precipitada. Após diversas tentativas frustradas de resolver a situação por via mais branda, nos vimos coagidos a chamar a atenção do dono da faculdade para que nossas questões fossem solucionadas. Para tanto, iniciamos uma movimentação pacifica fechando 3/4 da avenida sob supervisão de policiais militares. Ressalte-se que a iniciativa tinha hora para começar e terminar. Fomos então, surpreendidos com a truculência da Tropa de Choque que, sem avisar ou propor qualquer diálogo, iniciou o lançamento de, pelo menos, 7 bombas de gás de pimenta, além do disparo de balas de borracha direcionados, inclusive, para a passarela que era a nossa única rota de fuga. Como resultado desta absurda ação, tivemos alunos pisoteados, lesionados pelas balas, desmaiados, havendo, no mínimo, 6 feridos. O cenário era de guerra.

    > Entendemos os transtornos causados à cidade, pedimos desculpas a população porém medidas mais enérgicas se faziam necessárias. Tudo que queríamos era uma conversa franca e o compromisso firmado em manter a qualidade do nosso excelente curso. Apesar dos danos causados – que, sabemos, são irreparáveis -, conseguimos conversar com a presidência da faculdade, antes inacessível.

    > Concluímos que não se quis com o protesto causar qualquer prejuízo a comunidade, mas, antes, fazer valer o nosso direito constitucionalmente instituído à liberdade de manifestação, reunião e expressão, tendo em vista conquistas de interesse, não só dos milhares de alunos matriculados na FTC, como de toda a população soteropolitana.

    Atenciosamente, Ana Luiza Tripodi Faria Aluna do 6º Semestre do curso de Medicina da FTC

  12. Eduarda

    A falta de qualidade do jornalismo soteropolitano é diretamente proporcional à ação inescrupulosa do batalhão de choque contra os alunos da FTC. Aconselho-o, seja lá quem tenha escrito esta asquerosidade, a estudar um pouco mais e ser menos precipitado e tendencioso. O propósito dos estudantes foi em nome da educação e uma formação médica de qualidade. Se o senhor prefere chamá-los de “burgueses”, pressuponho que não conhece todos os alunos da FTC. E outra, são esses “burgueses”, que estão lutando pela permanência de um ensino de qualidade, que, possivelmente, irão atender seus filhos e netos. E aí? O senhor quer que eles não possuam uma boa formação para oferecerem um atendimento digno à população? Frequentemente, temos manifestações similares e a polícia não age dessa maneira. Isso se chama COVARDIA! Parabéns ao governo do Estado da Bahia, rumo à Copa! Palhaçada..

  13. Josevaldo - sobre a FTC

    Eu acho que a a leitora Eduarda está nervosa. A maifestação dos alunos e professores, justas, deveria ser dentro da FTC, não na Paralela, para infernizar a vida de milhares de pessoas.

    E a própria matéria do jornal criticada por ela diz esperar que a ação do governo seja válida para qualquer movimento, inclusive aqueles organizados por sindicatos e movimentos sociais, para não transparecer que foi somente contra os estudantes e professores da FTC.

    Veja o que diz o texto que a leitora Eduarda não leu:

    “….Vamos esperar o próximo bloqueio de avenida acontecer para ver se a decisão de desobstruir as vias é mesmo para valer ou só será aplicada apenas contra manifestações que não sejam comandadas por sindicatos, partidos políticos, movimentos sociais ou líderes comunitários….”

  14. José Adroaldo

    Eu não tenho nada contra os burgueses, eu queria ser mesmo rico, e não me sentiria ofendido se me chamasses de burgues. Ai se eu fosse. Agora a FTC foi fundada em cima da burguesia. Não é uma realidade? Quem pode pagar R$ 7 mil ? Eu não posso. Só ganho dois salários mínimos. E eu acho também que o governador Wagner não gosta de burguês porque ele é do PT e o PT detesta burguês. Então a culpa não é de ninguém a não ser do governador, do PT. Da Polícia Militar né não. recebeu ordens pra inaugurar uns vidros de gás de pimenta que chegaram para a Copa das Confederações. E os estudantes da FTC foram cobaia….KaKaka

    Eu achei sem brincadeira a ação da Polícia Militar violenta demais. Não precisa aquilo tudo pra tirar os estudantes de lá. Minha opinião é essa.

  15. Paulo

    kkkkkkkk se esses estudantes de medicina que se manifestaram criticando o jornal se tornarem médicos tão competentes quanto a capacidade de compreensão de textos que eles tem, seus pacientes estarão fritos. Parece que eles não entenderam nada ou não leram o texto inteiro.
    Pelo que li, o texto mostra que o governo sempre foi complascente com motoristas de ônibus, moradores do Bairro da Paz e de outros bairros populares que fecham avenidas e a PM nada faz, deixando e a cidade toda travada durante horas, mas quando um grupo que representa a classe média alta faz o mesmo é reprimida com balas de borracha e bombas de gás.
    Para quem não sabe, o PT, PC do B e outros partidos de esquerda chamam os membros da classe média alta de burgueses.
    O jornal apenas mostrou que o governo deixa o “povo” sacanear com a cidade mas bota pra quebrar nos cidadãos que eles consideram “burgueses”, entenderam? O recado mostra que o governo da Bahia deixa as massas populares fazerem o querem e bota pra correr a classe média que protesta.
    Leiam o comentário de Marcelo que vocês vão entender.

Comentários estão suspensos