Rebeldes maoístas matam 27 pessoas em atentado na Índia

AGÊNCIA ANSA

Nova Délhi – Um grupo de rebeldes maoístas indianos atacou no último sábado um comboio de carros que transportava 12 representantes do Partido do Congresso no estado de Chhattisgarh, no nordeste da Índia, matando 27 pessoas e deixando outras 30 feridas. O ataque aconteceu em uma área isolada do distrito de Sukna, a 300 quilômetros da cidade de Raipur.

O comboio de carros estava transportando os políticos após ter realizado um comício e era escoltado por viaturas da polícia local. Os carros explodiram em uma mina terrestre posicionada pelos rebeldes, que em seguida atacaram os carros a tiros.

O presidente local do Partido do Congresso – bancada que ganhou as últimas eleições gerais na Índia – Nand Kumar Patel, e seu filho, morreram no ataque. Um outro importante líder político, Mahendra Karma, fundador em 2005 da milícia tribal anti-maoísta Salwa Judum e o ex-parlamentar Uday Mudaliar foram mortos. A líder nacional do Partido do Congresso, Sonia Gandhi, e seu filho Rahul, condenaram o atentado como um “ataque a democracia”.

De acordo com o governo de Nova Délhi os rebeldes maoístas são “a maior ameaça à segurança interna” do país asiático. O grupo controla uma área chamada “corredor vermelho”, localizada no leste da Índia, entre a fronteira com o Nepal até o estado de Andhra Pradesh.

Há alguns anos as autoridades indianas decidiram lançar uma ofensiva militar contra os maoístas, cancelada em seguida por causa das estreitas relações entre os milicianos e as populações locais. A semana passada o exército indiano matou oito civis, entre os quais várias crianças, durante uma troca de tiros com suspeitos integrantes do grupo maoísta, em uma cidade na região tribal de Bastar, no estado de Chhattisgarh. (AnsaLatina)

Notícias Relacionadas