Deputado diz que após vender vento e dar o cano, Embasa impõe aumento abusivo

Salvador – Após denunciar a Embasa por “vender vento”, o deputado estadual Tom Araújo (DEM) volta a carga agora para criticar o aumento “abusivo” da empresa, anunciado para o próximo mês de junho. A estatal vai reajustar a tarifa em 9,8%, enquanto que o INPC anual é de 7,22%. “Além do serviço sofrível, deixando milhares de consumidores carentes de abastecimento e ainda cobrando por fornecer ‘vento’, a empresa ainda aplica um aumento bem superior à inflação”, salienta o deputado.

Tom Araújo, que é representante da região sisaleira e Bacia do Jacuípe,  denunciou a empresa por “vender vento” no final do ano passado, quando a região do Sisal (em municípios como Conceição do Coité, Riachão do Jacuípe, Queimadas, Retirolândia, Barrocas, Serrinha e outras cidades) era obrigada a pagar as contas de água sem ter acesso ao líquido. “Moradores da região reclamavam que ficavam até 50 dias sem ter água nas torneiras e, mesmo assim, o hidrômetro continuava a funcionar com o ‘vento’ nos canos, gerando novas contas”.

A situação, segundo ele, continua a mesma e agora o consumidor vai ter que “pagar pelo vento reajustado”. Araújo lembra que o presidente da Embasa, Abelardo Oliveira, foi convidado a comparecer à Comissão de Defesa do Consumidor da Assembléia Legislativa, mas “deu cano” nos deputados que ainda esperam a visita da empresa para responder a diversos questionamentos sobre o fornecimento de água no interior do Estado. “O pior de tudo é saber que um serviço ruim ainda tem um reajuste acima da inflação e muito acima do reajuste concedido ao funcionalismo público. A empresa não investe para resolver o problema e quem paga a conta é o sertanejo, que ainda sofre com a seca”, argumenta o deputado

 

Notícias Relacionadas