PMDB articula unidade das oposições para disputar governo baiano em 2014

“Defendemos um projeto alternativo para a situação em que a Bahia se encontra. O nome de um candidato para as oposições em 2014 pode ser do DEM, do PSDB, do PTN, do PV, do PMDB, das legendas ditas de oposição. Isso porque a administração que está aí já venceu o seu prazo de validade”.

A declaração do presidente estadual do PMDB, Lúcio Vieira Lima, em entrevista à Rádio CBN, reflete a forma como o ex-ministro Geddel Vieira Lima tem se comportado diante do tema: “Quando Geddel fala que não é empecilho para unir as oposições, fala isso com pureza d’alma, do fundo do seu coração. O nome que for viabilizado, independentemente do partido, terá todo o nosso apoio. O que queremos é ganhar as eleições, porque achamos que o povo não pode ficar mais quatro anos com este governo, onde se destaca a seca, a violência e as greves. Nomes existem muitos, em todos os partidos de oposição”.

O presidente do PMDB na Bahia disse ainda que prometeram ao povo uma janela de oportunidades quando se falou em o Brasil realizar a Copa de 2014, só que não prática nada de fato ocorreu. “É muito pouco falar que a Arena Fonte Nova é um legado. Cadê melhorias na segurança pública e na mobilidade urbana em Salvador, por exemplo?”, perguntou o parlamentar. (Tribuna da Bahia)

Notícias Relacionadas