Eduardo Campos terá que sufocar resistência interna antes de 2014

Direção do PT colheu diagnóstico de que o governador de Pernambuco pode sofrer para emplacar sua candidatura à presidência
Apesar de já discursar como candidato à presidência da República, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, pode sofrer resistência interna do PSB, partido do qual é presidente nacional. Hoje na base governista, o socialista, que provavelmente disputará com a presidente Dilma Rousseff m 2014, pode ter dificuldades em fechar um acordo nos Estados governados pela legenda.

De acordo com notas publicadas na coluna Painel, da Folha de S.Paulo, neste domingo, a direção do PT colheu diagnóstico de que os governadores do Amapá, Camilo Capiberibe, do Espírito Santo, Renato Casagrande, do Piauí, Wilson Martins, e da Paraíba, Ricardo Coutinho, irão sofrer para se reeleger no ano que vem caso não tenham alianças locais de PT e PMDB, o que indicaria um apoio desses políticos para a reeleição de Dilma.

Agora, além de angariar votos em Estados onde praticamente não é conhecido – seu eleitorado está concentrado no Nordeste – Eduardo Campos terá de trabalhar internamente se quiser mesmo oficializar sua disputa ao Palácio do Planalto. (Brasil 247)

Notícias Relacionadas