Mais de 4 mil médicos começam a atuar em regiões vulneráveis

Aline Leal
Agência Brasil

Brasília – A partir de amanhã (29), 4.392 médicos passarão a atender em 1.407 municípios do Programa de Valorização do Profissional Médico. Eles receberão bolsas de R$ 8 mil mensais, pagas pelo Ministério da Saúde, para atuar em periferias de grandes cidades e em municípios do interior, onde há dificuldade para a contratação de médicos. Os bolsistas irão fazer especialização em saúde da família.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, acentua que a preocupação é mudar o perfil da formação médica. “O programa tem como principal intenção influenciar a formação do médico. Nós queremos a experiência do profissional na atenção básica, cuidando das pessoas, entendendo o contexto de onde o paciente mora. Isto tem que ser valorizado na formação do profissional” explicou o ministro.

A atuação dos profissionais nas equipes de atenção básica será supervisionada por instituições de ensino superior. Os médicos vão cumprir 32 horas de atividades práticas e oito horas de atividades teóricas, por semana. Por não terem contrato de dedicação exclusiva, poderão trabalhar em outros locais.

Do total de municípios inscritos para receber profissionais, 49% estão no Nordeste (696), para onde vão 2.494 médicos. O Sudeste tem 25% dos municípios inscritos (357) e vai contar com 1.018 profissionais. O Sul receberá 370 profissionais em 169 cidades. No Norte, que teve o menor número de adesões de municípios, 241 médicos vão atuar em 84 cidades. O Centro-Oeste contará com 269 profissionais em 101 municípios. As periferias das regiões metropolitanas receberão a maior parte dos profissionais (1.724 médicos).

Notícias Relacionadas