Justiça determina penhora de R$ 268 mil de Waldomiro Diniz

Luciano Nascimento
Agência Brasil

Brasília – A Justiça determinou a penhora de bens de  Waldomiro Diniz  no valor de R$ 268 mil. O pedido foi feito pela Advocacia-Geral da União (AGU) após Diniz não ter cumprido prazo judicial estabelecido para pagamento da multa no valor total de R$ 268.517,17. Segundo informação publicada em seu site, a AGU está adotando todas as providências no sentido de localizar bens passíveis de penhora (imóveis, veículos, ações).

Diniz foi ex-assessor da Casa Civil, comandada à época por José Dirceu, e um dos indiciados na CPI do Bingos, criada para apurar a relação das casas de bingo com a lavagem de dinheiro e o crime organizado. A decisão também se estende ao advogado Rogério Buratti, também condenado no mesmo processo por improbidade administrativa. Juntos, eles têm uma dívida no valor total de R$ 368.248,35.

De acordo com a AGU, o valor devido por Waldomiro Diniz é R$ 268.517,17 a título de multa civil, e R$ 5.112,73, de honorários advocatícios. Buratti deve R$ 89.505,72 de multa civil por improbidade administrativa e R$ 5.112,73 em honorários advocatícios.

O Juízo de Primeiro grau, acatando os pedidos da AGU, determinou que os acusados pagassem a dívida no prazo de 15 dias, sob pena de multa de 10% e penhora de bens. Como a decisão não foi cumprida, a Justiça também determinou que seja procedida à penhora online da quantia objeto da condenação.

Notícias Relacionadas