Yoani usa Twitter para fazer piada com manifestantes brasileiros

A blogueira cubana Yoani Sánchez visita o Rio de Janeiro - 24/02/2013 (Luís Bulcão)
A blogueira cubana Yoani Sánchez visita o Rio de Janeiro
A ativista cubana Yoani Sánchez deixou o Rio de Janeiro segunda-feira com críticas aos manifestantes pró-Cuba que tumultuaram a viagem dela pelo Brasil.

No Twitter, ironizou: “Por dois dias (período em que Yoani esteve no Rio), não houve manifestantes contra mim. Não se manifestaram no Rio de Janeiro. O que houve? Não pagaram a passagem para eles?”.

Durante a estada da cubana no país, ela passou por Pernambuco, Bahia, Brasília, São Paulo e, por último, Rio de Janeiro. Nas quatro primeiras unidades da federação, a blogueira enfrentou protestos. Em alguns casos, o evento programado teve de ser cancelado pela confusão armada por grupos favoráveis ao regime castrista.

Leia também:

Conforme VEJA revelou, antes da chegada de Yoani ao Brasil, o governo cubano escalou um grupo de agentes para vigiá-la e recrutou outro com a missão de desqualificá-la a partir de um dossiê.

Pelo microblog, acrescentou: “A minha hipótese é de que os atos de intolerância contra mim fracassaram como estratégia (do regime cubano). A solidariedade gerada foi maior do que a rejeição”, escreveu. Yoani agradeceu os que a ajudaram durante a passagem pelo Brasil e também aos que “de forma respeitosa mostraram o desacordo em relação à minha visita. Isso é democracia”.

Agora que pude ter acesso à internet, estou me informando sobre muitas coisas que desconhecia. Tantas mentiras, tantos silêncios, tantas distorções na história que me ensinaram. E, de repente, posso saber sobre tudo isso em um clique (Yoani Sánchez)

Yoani usou a rede social para dizer que o saldo da vinda ao Brasil foi positivo por ter ajudado a divulgar a realidade de Cuba e a ausência de direitos no país de Fidel Castro. “Agora que pude ter acesso à internet, estou me informando sobre muitas coisas que desconhecia”, disse, completando: “Tantas mentiras, tantos silêncios, tantas distorções na história que me ensinaram. E, de repente, posso saber sobre tudo isso em um clique”.

No Rio de Janeiro, onde conseguiu fazer passeios turísticos, disse ao deputado federal Otávio Leite (PSDB), um dos guias de Yoani na cidade, que escreverá um livro sobre a vinda ao Brasil. A ativista afirmou que tem como sonho fundar um jornal em Cuba e prometeu voltar ao Brasil, apesar dos percalços criados pelos baderneiros ligados a partidos de esquerda. (Veja Online)

Notícias Relacionadas