Pagamento de indenizações do Dpvat cresce 39% em 2012

Vinícius Lisboa
Agência Brasil

Rio de Janeiro – O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (Dpvat) cresceu 39% no país apenas de 2011 para 2012, divulgou hoje (26) a Seguradora Líder Dpvat, administradora do consórcio de 76 seguradoras que prestam o serviço.

O crescimento do número de indenizações superou em quase cinco vezes o aumento da frota de veículos, que foi 7,9%. O aumento maior ocorreu com as indenizações por invalidez permanente, com alta de 47%, 112 mil casos a mais que os registrados em 2011. Já o número de seguros pagos por morte cresceu 5%, ultrapassando os 60 mil.

O total de indenizações em 2012 chegou a 507.915, sendo 12% por morte e 69% por invalidez permanente. Os outros 19% couberam aos casos em que o seguro cobriu as despesas médicas dos acidentados. A seguradora ressaltou que, como os pedidos podem ser feitos em um prazo de até três anos, nem todos os indenizados se acidentaram em 2012.

De acordo com o diretor-presidente da Seguradora Líder Dpvat, Ricardo Xavier, contribuíram para esse crescimento a maior consciência das pessoas de que têm direito ao seguro e, principalmente, o aumento do número de motos nas ruas: “a motocicleta tem uma frequência de acidentes muito elevada, e, em geral, o acidente com a moto sempre gera uma lesão”.

Apesar de representar apenas 27% da frota nacional de veículos, as motos foram responsáveis por 69% das indenizações pagas. Em 72% dos casos, a vítima foi o próprio motociclista. Os acidentes com automóveis, que são 60% da frota, geraram 25% das indenizações, sendo que a vítima, em 52% dos casos, foi um pedestre. Outros 4% foram pagos em acidentes com caminhões e 2%, com ônibus.

A grande quantidade de indenizações pagas a motociclistas também faz com que as regiões Nordeste (29%) e Sul (28%) sejam os maiores destinos do seguro. As duas regiões lideram justamente nos casos de invalidez permanente, com 31% e 26%, respectivamente. No Nordeste, 80% das indenizações por invalidez permanente foram pagas a motociclistas. O Sudeste tem o maior número de indenizações pagas por morte, 38%, sendo 19% do total nacional apenas no estado de São Paulo.

As indenizações são pagas principalmente a homens jovens entre 18 e 34 anos, que receberam 40% dos benefícios. No total, os homens recebem 77% dos pagamentos.

Notícias Relacionadas