Yaoni Sánchez defende fim do embargo dos Estados Unidos a Cuba

Ivan Richard
Agência Brasil

Brasília – A blogueira e jornalista cubana Yoani Sánchez defendeu hoje (20), na Câmara dos Deputados, o fim do embargo econômico dos Estados Unidos a Cuba e a liberdade de expressão. Convidada por deputados de oposição para acompanhar a exibição do documentário Conexão Cuba-Honduras, do cineasta baiano Dado Galvão, a blogueira ainda criticou a manutenção, pelos Estados Unidos, da prisão de Guantánamo, em Cuba.

“Há cinco anos quando abri na internet o [blog] Geração Y não pensei que minha vida fosse mudar tanto. Em Cuba, vivemos uma grande censura, um monopólio informativo, com um único partido que não permite a ascensão de outras forças politicas. Essa é a principal mensagem: Cuba não é um partido, só um homem. É plural, diversa”, disse Yoani Sánchez.

Perguntada pelo deputado Glauber Braga (PSB-RJ) sobre o embargo econômico imposto a Cuba há mais de 50 anos, Yoani respondeu que ele deveria “terminar já”. “Essa não é minha posição de hoje, mas de sempre”.

Sobre a prisão de Guantánamo, a blogueira disse que não pode concordar com ilegalidades em nenhum lugar do mundo. Durante a sessão para exibição do documentário, vários deputados de partidos de oposição elogiaram a postura da blogueira e criticaram os atos contra a presença dela no Brasil.

Ao final da reunião, houve confusão entre deputados, do DEM e do PSDB, e manifestantes contrários à presença de Yoani no Brasil. “Ele me empurrou. Estamos nesta Casa, no Legislativo, defendendo o direito de que uma estrangeira possa defender a liberdade em seu país. Lamentavelmente, eles vieram me agredir”, disse o deputado Mendonça Filho (DEM-PR) sobre os manifestantes.

O parlamentar chegou a arrancar das mãos de Wesley Cassador Soares, coordenador nacional da Associação Médica Doutora Maíra Fachini, um papel contendo críticas à cubana. O manifestante se defendeu: “eles vieram ofensivamente, metendo a mão nos panfletos, nas bandeiras e estavam extremamente agressivos. Eles não respeitaram a liberdade de expressão”, disse. Depois da reunião na Câmara, Yoani Sánchez concedeu entrevista à TV Senado, acompanhada do senador Eduardo Suplicy (PT-SP).

Notícias Relacionadas