Rui Falcão diz que regulamentação dos meios de comunicação é inadiável

A regulamentação dos meios de comunicação no país foi apontada como “inadiável” pelo presidente nacional do PT, deputado Rui Falcão (SP), durante discurso na festa de comemoração dos 10 anos do partido na Presidência da República. A discussão sobre o assunto é antiga dentro do PT, que chegou a incluir uma proposta pontual no documento do seu 4º Congresso Nacional, em 2012.

“É inadiável o alargamento da liberdade de expressão no país. O alargamento da democracia nos meios de comunicação tal como está previsto nos artigos da Constituição e que esperam há anos por uma regulamentação”, afirmou Falcão, seguido de aplausos.

O dirigente ressaltou realizações do PT para o avanço de uma democracia social e referiu-se à gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), sem citar nomes, como “omissos neoliberais”.

Antes de começar a discursar, Falcão recebeu um recado da presidente Dilma Rousseff ao pé da orelha já quando estava à frente do púlpito. Era um pedido para que ele agradecesse a militância que estava assistindo à cerimônia por telões instalados fora do auditório porque o espaço reservado havia atingido a lotação máxima.

O ex-ministro José Dirceu, condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do mensalão, foi um dos mais festejados na festa do PT. Os deputados federais Genoíno e João Paulo Cunha, também condenados, chegaram por volta das 18h30m, com menos entusiasmo. Dirceu chegou por volta das 19h e formaram-se longas filas de petistas para cumprimentá-los.

A Juventude do PT chegou a fazer uma camiseta em defesa do ex-ministro José Dirceu, condenado pelo STF. O filho de Dirceu, o deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR), chegou ao evento com uma delas na mão. A foto do ex-ministro está estampada na camiseta. Embaixo dela, estava escrito “inocente”. Na parte de cima, “golpe das elites”.

“Foi o pessoal da juventude que me deu”, afirmou Zeca. O deputado descartou que o seu pai tenha sido escondido no evento por não ter ficado na mesa principal. “Foi feito um palco pequeno. Não é possível comportar todo mundo. Acabou se dado prioridade a quem tem que ter prioridade, a presidenta, o ex-presidente, o presidente nacional do parido. É normal”.

Zeca disse ainda que o PT “tem sido solidário” com Dirceu. O deputado afirmou estar sofrendo com a perspectiva de Dirceu ir para a cadeia cumprir a pena de 10 anos e 10 meses, a que foi condenado. Durante a espera até o início do evento, que começou com uma hora e meia de atraso, Dirceu mal ficou sentado na primeira fila da plateia do auditório escolhido para a festa petista diante dos cumprimentos de militantes e convidados. (O Globo)

Notícias Relacionadas