Aspone vai a conspiração para difamar Yoani e ganha R$ 5 mil para ir a Cuba

Ricardo Poppi Martins, o aspone "suarento", foi à conspiração na embaixada e depois fez um passeio a Cuba
Ricardo Poppi Martins, o aspone “suarento”, foi à conspiração na embaixada e depois fez um passeio a Cuba
CLÁUDIO HUMBERTO

Ricardo Augusto Poppi Martins, aspone da Secretaria Geral da Presidência da República, foi pago com R$ 5.095,10, segundo a ONG Contas Abertas, para ir a Havana (Cuba), por conta dos cofres públicos, poucos dias depois de haver participado de uma conspiração na embaixada de Cuba em Brasília com o objetivo de difamar e desqualificar a blogueira Yoani Sánchez, crítica da ditadura cubana. Durante o encontro, foi distribuído um CD com conteúdo difamatório sobre a blogueira Yoani Sánchez.

Leia também:

Martins é militante do PT, está na Secretaria Geral da Presidência como coordenador-geral de “Novas Mídias e Outras Linguagens de Participação”, tem aspecto suarento, como definiu o jornalista Reinaldo Azevedo em seu blog, e assessor direto do ministro Gilberto Carvalho.

Há cerca de dois anos ele recebe salários de R$ 6,8 mil brutos. Ele viajou a Cuba no dia 10/02 e reservou hotel por oito dias, recebendo U$ 320 para cada diária. O governo não revela a natureza da viagem, nem confirma se é verdadeira a informação de que ele foi a Cuba tentar coletar material difamatório contra a blogueira. (Coluna de Cláudio Humberto)

Notícias Relacionadas