Erro de projeto complica montagem da cobertura da Fonte Nova

LUÍS AUGUSTO GOMES

O Consórcio Arena Fonte Nova acaba de contratar a conhecida empresa norte-americana 3M para tentar resolver as sérias dificuldades que vem enfrentando desde dezembro com a cobertura do novo estádio, cuja inauguração está até agora confirmada para o dia 29 de março.

Leia também:

Aparentemente, todas as folhas da membrana de cobertura estão assentadas, e a informação oficial é de que só falta encaixar entre elas as calhas para captação de água. Mas, segundo fonte bastante próxima do empreendimento, a situação não é bem a que se divulga.

A fonte reitera a informação prestada a este blog no início de janeiro, dando conta de um erro de projeto que estaria impedindo o encaixe correto – ou seja, parafusado – da membrana na estrutura metálica de sustentação da cobertura. Por isso, tentou-se uma solução de engenharia, que terminou não dando os resultados esperados.

Solução não serviria para a Copa do Mundo – Depois de assentadas as folhas da membrana de cobertura, ficou confirmado que não era possível parafusá-las nos arcos intermediários da estrutura. Foi quando surgiu novo problema, provavelmente causado pelo primeiro: uma folga em várias das braçadeiras que fixam a membrana à estrutura.

Em função desse problema é que teria sido contratada a 3M para aplicar sua tecnologia de ponta no sentido de colar a membrana à estrutura nos pontos nos quais não foi possível parafusar.

A solução, segundo a mesma fonte, é tida como provisória, para que o estádio seja inaugurado no prazo e possa sediar os jogos da Copa das Confederações, mas não poderá ser mantida para a Copa de 2014.

Mesmo tendo a 3M expertise no assunto, já que suas colas são usadas em foguetes da Nasa, a equipe do projeto da Arena Fonte Nova não considera prudente manter esse improviso, temendo eventual excesso de água sobre a cobertura – cada folha pesa 1,5 tonelada –, e busca uma solução de engenharia.

Segurança é o motivo do questionamentoPor Escrito, que divulga estas informações por uma óbvia questão de interesse público, faz três ordens de questionamento aos responsáveis, na expectativa de que as respostas tragam o devido esclarecimento sobre o assunto:

1. Foi ou não contratada a 3M? Em caso afirmativo, com que finalidade? Era uma contratação prevista no contrato original? Quem paga pelos serviços?

2. Todas as folhas da membrana de cobertura do estádio estão inteiramente parafusadas às estruturas de sustentação?

3. Houve ou não um erro de projeto na cobertura do estádio? (Por Escrito)

Notícias Relacionadas

1 Comentário

  1. Responsa

    Se o estádio ainda não terminou, a hora é esta de reparar esta falha, que pode ser perigosa…

Comentários estão suspensos