Robert Kennedy Jr. é preso por protesto em frente a Casa Branca

AGÊNCIA ANSA

Nova York – O filho de Bob Kennedy, Robert Kennedy Jr., advogado ambientalista, e o neto Conor foram presos juntos com um grupo de ambientalistas durante uma manifestação diante da Casa Branca. O objetivo do protesto era pedir para o presidente Barack Obama dizer não à construção do oleoduto Keystone XL, que transportaria petróleo do estado canadense de Alberta às margens do Golfo do México, atravessando verticalmente o inteiro território dos Estados Unidos.

“A desobediência civil é o único recurso contra essa empresa catastrófica e criminal que irá enriquecer poucas pessoas, empobrecendo o resto da humanidade e ameaçando o futuro da civilização”, disse Robert Kennedy Jr., em comunicado divulgado pela sua organização, a “‘Waterkeeper Alliance'”.

Junto ao filho de Bob Kennedy, cerca de 50 ativistas foram presos, entre os quais a atriz Daryl Hannah, que se algemou na cancela da residência presidencial em forma de protesto, e o líder do movimento civil, Julian Bond.

Os ambientalistas bloquearam uma das avenidas principais em frente à Casa Branca e se recusaram a deixar o local. A polícia da cidade de Washington teve de intervir.

Robert Kennedy Jr. já tinha sido preso no passado, por várias acusações. Em 1983, ele foi detido no aeroporto de Rapid City, no estado de South Dakota, pela posse de 183 miligramas de heroína. Após confessar a culpa, Kennedy, que na época tinha 29 anos, foi obrigado a se submeter a testes para detectar drogas e a cumprir 1,5 mil horas de serviço comunitário.

Em 2001, Kennedy foi preso por invasão do centro de treinamento da Marinha de Camp Garcia, na ilha de Vieques, Porto Rico. O advogado e outros ativistas estavam protestando contra o uso de uma parte da ilha para fins militares. A invasão provocou a suspensão dos treinamentos. Por essa ação, Kennedy foi condenado a 30 dias de prisão.

AnsaLatina

Notícias Relacionadas