Organização para a Libertação da Palestina apresentará plano de paz a Obama

Jerusalém – O comando da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) apresentará ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, uma proposta para as negociações de paz com Israel. Pelo plano, há um prazo de seis meses para demarcar as fronteiras entre os dois países e os mecanismos de segurança conjuntos. Em março, a proposta será apresentada a Obama. O texto sugere ainda a suspensão das construções nos assentamentos nas áreas de Jerusalém Oriental e da Cisjordânia.

A proposta foi desenvolvida em parceria entre a OLP e a Liga Árabe (formada por 22 países). Há ainda uma série de recomendações para a libertação de prisioneiros palestinos, a retirada de militares israelenses de postos de controle e das estradas na Cisjordânia, além da reabertura das instituições palestinas em Jerusalém Oriental.

Em relação à divisão de Jerusalém, o plano palestino considera que se Israel permitir a retomada das negociações, sem postos de controle de fronteira, serão aceitos os assentamentos de Yaakov e Pisgat Zeev, do lado israelense.

De acordo com integrantes da OLP, a proposta não é direcionada apenas aos Estados Unidos, mas a toda a comunidade internacional. Em seu primeiro mandato, Obama incluiu visitas à Palestina e a Israel, além de vários países do Oriente Médio.

O Brasil apoia a criação de um Estado da Palestina independente e autônomo. Em seus discursos, a presidenta Dilma Rousseff costuma reiterar a necessidade de busca de um acordo entre palestinos e israelenses e a definição do território do Estado da Palestina.

—-

Renata Giraldi
Agência Brasil

Notícias Relacionadas