Ratzinger tornou-se professor universitário e doutor em teologia

 Agência Brasil

Brasília – O alemão Joseph Ratzinger, papa Bento XVI, de 85 anos, assumiu o comando da Igreja Católica em 19 de abril de 2005, após a morte de João Paulo II, em um dos conclaves mais rápidos da história, com cerca de 22 horas de duração. Após quatro rodadas de votações, Ratzinger foi empossado na Basílica de São Pedro, em Roma, em 24 de abril de 2005.

Bento XVI  nasceu em 16 de abril de 1927, em Marktl am Inn, na Baviera, no Sudeste da Alemanha, próximo à fronteira com a Áustria. O papa veio de família humilde. O pai era comissário de polícia e a mãe, artesã. No início da Segunda Guerra Mundial (1938), Ratzinger serviu como auxiliar antiaéreo no regime nazista, nos últimos meses dos conflitos.

Em 1951, Bento XVI se tornou sacerdote e começou a atuar um ano depois como professor na Escola Superior de Freising, também na Baviera, estado onde nasceu. Depois da conclusão do doutorado em teologia, o papa teve intensa vida acadêmica. Lecionou até 1969 em diversas cidades alemãs e, aos 42 anos, tornou-se professor catedrático de dogmática e história do dogma na Universidade de Ratisbona, onde ainda foi vice-reitor. Bento XVI publicou vários livros e recebeu títulos honoríficos em universidades de todo o mundo.

Ratzinger participou do Segundo Concílio do Vaticano (1962-1965) como perito. Os concílios são conferências feitas entre membros da cúpula da Igreja para tratar de diversos temas relacionados à fé.

Em 1977, Bento XVI foi nomeado arcebispo de Munique e Freising e, no mesmo ano, cardeal – título mais alto da Igreja, antes do papa. Ele participou dos conclaves que elegeram João Paulo I (1978) e João Paulo II (1978).

Ratzinger foi membro de diversos conselhos na Santa Sé, inclusive da Congregação para a Doutrina da Fé, órgão da Cúria Romana que defende a ortodoxia no catolicismo.

Notícias Relacionadas