CNBB se diz surpresa com notícia de renúncia de Bento XVI

Yara Aquino
Agência Brasil

Brasília –  A notícia da renúncia do papa Bento XVI hoje (11) foi recebida com surpresa pelos católicos brasileiros, segundo o secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner. Na avaliação do religioso, Bento XVI entrará para a história da Igreja como o papa que sempre abordou a questão mais essencial do Cristianismo, a do amor de Deus.

“Surpresa é a expressão para dizer que não esperávamos um gesto tão importante dentro da Igreja, apesar de sabermos que não é o primeiro papa que renuncia. Mas, em plena atividade, ele dizer que não tem mais condições físicas e, nos tempos atuais, isso exige uma presença mais forte, mais viva já que tudo corre rapidamente”, disse dom Leonardo Steiner.

Ao lembrar textos e pronunciamentos de Bento XVI ao longo de quase oito anos de pontificado, dom Leonardo avalia que ele deixará aos católicos o legado de ter sido o papa do amor. “Se dissemos que João Paulo II foi o para da paz, provavelmente o futuro no dirá que Bento XVI foi o papa do amor. Ele muitas vezes falou da civilização do amor, falou aos jovens da necessidade de amar, de testemunhar a fé como caridade, como amor.”

Para o próximo pontífice a ser eleito, a expectativa é que ele dê continuidade ao diálogo ecumênico com outras religiões e também com povos em conflito. “O atual papa vivia um momento de diálogo importante com os anglicanos, as igrejas ortodoxas, e não só igrejas, mas também com os muçulmanos, os hebreus. Ele prezava muito isso. Creio que o novo papa dará continuidade a esse diálogo, a essa sensibilidade, e terá também muita sensibilidade para a realidade que estamos vivendo”, acrescentou o secretário-geral.

No mês de julho, o Rio de Janeiro será a sede da Jornada Mundial da Juventude. O evento representa uma oportunidade para a primeira visita de um novo papa ao Brasil.

Notícias Relacionadas