Grupos de amigos fazem sucesso no circuito Osmar travestidos de mulher

Depois de passar pelo Campo Grande, os dois grupos foram se divertir no Circuito Dodô, na Barra (Foto: Tatiana Azeviche – Setur)
Depois de passar pelo Campo Grande, os dois grupos foram se divertir no Circuito Dodô, na Barra (Foto: Tatiana Azeviche – Setur)

Salvador -Um encontro pra lá de curioso aconteceu nesta sexta-feira (8), no Corredor da Vitória, quando As Barbaletes, do bairro Barbalho, encontraram com as “policiais” do grupo Beta Girls, da Vila Laura.  Os dois grupos, que não se conheciam, mas fizeram uma grande festa de gritinhos com vozes grossas, tinham algo em comum: a tradição de toda sexta-feira de Carnaval sair às ruas para brincar travestidos de mulher.

O primeiro grupo, as Barbaletes, escolheu o tema “empreguetes”, com roupinhas cor-de-rosa choque mostrando as pernas cabeludas. Já as Beta Girls preferiram o tema “policiais” e estavam representando várias corporações, como o FBI, Polícia Federal, Polícia Militar, entre outras. Tinham até coreografia.

Elmo Sapucaia, supervisor de marketing, disse que o grupo das Barbaletes reúne entre 20 a 30 pessoas para fazer o Carnaval dos blocos de travestidos da sexta-feira. Segundo ele, não há música, trio nem corda, só diversão. Além de sair brincando com os foliões, vão se incorporando aos blocos que passam na avenida.

As Beta Girls começaram com um grupo de nove amigos, mas em 2013 conseguiram juntar 35 componentes, conta a namorada de um deles, Paloma Santiago. As namoradas, por sinal, vão em torno fazendo a segurança. São elas também que providenciam a maquiagem e adereços.

Notícias Relacionadas