Botafogo vira jogo sobre o Resende em noite de Seedorf

Seerdof deu show: fez o gol que despertou o time, participou de outros dois gols, deu toques de peito e calcanhar e ajudou o time a virar o jogo sobre o Resende,
Rio de Janeiro – Comandado por uma grande atuação de Seedorf, o Botafogo saiu de um placar adverso de 2 a 0 para vencer o Resende por 4 a 2, nesta quinta-feira, no Stadium Rio. O Glorioso chegou aos 14 pontos na Taça Guanabara, e disparou na liderança do Grupo A. Os gols foram de Seedorf, Márcio Azevedo, Cidinho e Sassá. O próximo adversário é o Flamengo, apenas no outro domingo, no Stadium Rio.

Já o Resende, com seis pontos na Chave B, precisa torcer para o Fluminense perder o clássico contra o Vasco, neste sábado, para manter as mínimas chances matemáticas de se classificar. A equipe volta a campo no sábado, 16 de fevereiro, contra o Friburguense, no Estádio do Trabalhador.

Mesmo com os desfalques de Andrezinho, Renato, Lodeiro e Gilberto, o Botafogo começou a partida melhor. A principal válvula de escape era Vitinho pela esquerda. Aos 3, ele fez ótima virada de jogo para Cidinho bater e Mauro pegar. O goleiro também apareceu ao espalmar chute de Vitinho e, em outro lance, ao encaixar a bola, após arrancada e finalização de Bruno Mendes. Já aos 16, Márcio Azevedo arriscou para fora.

O jogo parecia controlado, porém, no futebol, tudo pode mudar rapidamente. Em uma boa troca de passes, o Resende conseguiu chegar bem até Marcel finalizar de fora da área sem chances para Jefferson, aos 20.

O gol alterou a cara da partida. O Botafogo se lançou ao ataque, o Resende passou a sair forte nos contra-golpes. E o time visitante esteve bem próximo de ampliar. Aos 23, Elias chutou cruzado e Jefferson espalmou. Quando o goleiro poderia ser batido, aos 25, Bolívar tirou gol de Geovane Maranhã.

De tanto insistir, o Resende chegou ao segundo gol. Após pênalti cometido por Bolívar, Elias bateu com frieza, aos 32 para deslocar Jefferson.

O Botafogo não desistiu e nem desanimou, voltou ao jogo rapidamente. Com Vitinho arrancando e buscando dribles pela esquerdo, Bruno Mendes tentou e mandou para fora. Pelo outro lado, Lucas foi ao fundo e cruzou para Mauro afastar. Em outro lance, recebeu em condição duvidosa e rolou para Cidinho marcar, mas foi apontado impedimento. Não teve problema, porque aos 42 Vitinho fez boa jogada e achou Seedorf livre no meio. O craque dominou e bateu rápido, para diminuir.

Um gol antes do fim do primeiro tempo era o que o Botafogo precisava para ir para o intervalo confiante na virada. Tanto que, logo aos 55 segundos da etapa final, Márcio Azevedo empatou. Lucas cruzou da direita, a bola passou por Seedorf, o lateral-esquerdo dominou, limpou seu marcador e finalizou de direita, com precisão.

Vale registrar a mudança de Oswaldo de Oliveira no intervalo que surtiu efeito bastante positivo. Com Marcelo Mattos com um problema no tornozelo direito, o treinador optou por colocar o lateral-esquerdo Julio Cesar, no meio. E o jogador foi importante na mudança de postura, controlando o jogo no meio-de-campo.

A virada passou a ser questão de tempo e poderia ter vindo com um golaço aos 4. Cidinho tocou para Seedorf, que ajeitou de calcanhar para Vitinho ajeitar e finalizar rente à trave. A pressão aumentou. Fellype Gabriel bateu de longe, Mauro pegou. Bruno Mendes girou e chutou no canto, o goleiro se esticou para jogar para escanteio.

Aos 19, enfim, veio o gol da virada. Seedorf recebeu lançamento longo, dominou, deu uma caneta no adversário e rolou para Cidinho. O meia dominou, girou e bateu rasteiro, de esquerda, para colocar o Botafogo em vantagem no placar.

Após o ritmo intenso para virar o jogo, o Botafogo pôde diminuir o ritmo, mas sem abdicar do ataque. Sassá entrou no lugar de Bruno Mendes, por opção de Oswaldo, e teve chance aos 29, batendo para defesa de Mauro. O goleiro ainda impediu o que seria um golaço de Seedorf, em finalização colocada que ia no ângulo.

Já com Jadson no lugar de Cidinho, o Glorioso ainda ampliou no fim. Após escanteio da direita, Antônio Carlos desviou e Sassá mostrou oportunismo para fechar o placar de mais uma vitória alvinegra: 4 a 2.

Notícias Relacionadas