PR de César Borges pode perder dois deputados estaduais e um federal

Movimentações confirmam que o partido comandado na Bahia pelo ex-governador e ex-senador baiano, César Borges, está prestes a perder três deputados, dois na Assembleia, Sandro Régis e Elmar Nascimento e o federal Maurício Trindade, atual secretário da administração de ACM Neto (DEM). A informação é da Tribuna desta segunda-feira.

Segundo o jornal, os parlamentares estaduais entraram na justiça para obterem a justa causa. Somente após, o rito processual é que eles definirão oficialmente seus destinos. Hoje o PR tem braços no governo do estado, comandado pelo PT, e na prefeitura de Salvador, administrada pelo DEM. Até o momento a sinalização é de que a sigla permaneça apenas com a deputada Graça Pimenta e o deputado Reinaldo Braga na AL.

O filho de Braga, Reinaldo Braga Filho é o coordenador das prefeituras bairro, escolhido por Neto, fato que poderia segundo rumores, pressionar o pai a seguir uma tendência de mudanças. Mas, o decano da Assembleia rejeita: “Vou permanecer (no partido)”. Sobre a movimentação dos colegas ele minimiza: “Cada um tem seu sonho, tem seu posicionamento”.

A ida do filho para administração democrata também não deve influenciar, diz o deputado. “Não tem nada a ver, até porque isso ele conquistou com a competência e o mérito pessoal. Eles (Filho e ACM Neto) foram colegas de escola. Não fui consultado ou abordado em relação a isso”, disse taxativo. No oitavo mandato na AL, o certo é que Braga já é citado na conta do governo.

Embora ainda não queiram explicitar o assunto, Régis e Elmar já estariam de malas prontas para abrigos oposicionistas, a exemplo do DEM. A perspectiva é de que Régis siga a orientação de ACM Neto e Paulo Souto, com quem sempre manteve ligação política. Já o novo líder da oposição na AL, ainda não teria decidido sobre o novo abrigo. Há possibilidade de se integrar ao próprio DEM e PMDB com quem teria boas relações com colegas da Casa, mas também pode se destinar ao PV e ao PSDB.

Trindade também traça um caminho para um novo ninho. Ao lado dos dois colegas estaduais, ele foi um dos principais entusiastas da campanha de Neto, enquanto o dirigente César Borges optou pelo palanque do petista Nelson Pelegrino.

Nos bastidores, fala-se que atualmente o deputado federal José Rocha é quem estaria dando as cartadas no partido com a maior entrega de Borges ao cargo de vice-presidente de governo do Banco do Brasil.

O secretário Maurício Trindade confessou que foi convidado pelo presidente do PMDB, Lúcio Vieira Lima e pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima a entrar no PMDB. O convite também partiu do presidente do PDT, Alexandre Brust.

Notícias Relacionadas