Combate às drogas une instituições no desfile da Alegria sem Ressaca

Alana Gandra
Agência Brasil

Rio de Janeiro – A banda Alegria sem Ressaca, idealizada há uma década pela Associação Brasileira de Alcoolismo e Drogas (Abrad), desfila no próximo dia 3 de fevereiro na orla de Copacabana, zona sul da cidade, tendo como bandeira principal a prevenção ao uso de drogas.

A Câmara Comunitária da Barra da Tijuca (CCBT) é uma das instituições que apoiam a causa. A conselheira Rute Guida, da CCBT, ressaltou à Agência Brasil que o objetivo do desfile é mostrar às pessoas “que elas podem se divertir sem álcool e sem droga e que a alegria está dentro de cada um”.

Uma das fundadoras da organização não governamental Lutando por Quem Precisa, Fernanda Domingos, disse à Agência Brasil que a ONG vai participar do desfile pela primeira vez.A organização conta com 17 voluntários, que dão aulas gratuitas de música, artes marciais, cabeleireiro e inglês, para cerca de 120 alunos cadastrados. “Todos [os alunos] estão super animados para participar com a gente”.

O desfile da banda será animado pela Velha Guarda Musical da Vila Isabel. O produtor cultural e artístico do grupo, Adilson da Vila, é outro que apoia a campanha. “É muito importante que a cada dia a gente possa passar isso para as pessoas, porque é muita gente que tem envolvimento com drogas e não tem conhecimento que pode participar desses grupos”.

Adilson considera que é muito mais fácil levar essa conscientização para a população por meio da música. A parceria com a Abrad começou há um ano e meio. Neste carnaval, Adilson acionou um serviço de mala direta para mobilizar os amigos e espera o comparecimento de cerca de 8 mil pessoas ao desfile.

“A gente vai buscando junto com os amigos propagar isso. Porque é uma ação muito bacana. Depende mais de propagar, de as pessoas descobrirem isso”. Depois do carnaval, ele pretende levar a iniciativa da Abrad para a sua comunidade, que fica no Morro dos Macacos. “Essa parceria tem que se prolongar por muito tempo, porque tem muita gente que precisa desse auxílio, desse apoio”.

A Força Aérea Brasileira (FAB) também apoia a iniciativa da Abrad. Falando à Agência Brasil, o major aviador Bruno Pedra, porta-voz da FAB, informou que existe a vontade de repetir este ano a parceria com especialistas da associação. No ano passado, durante a Operação Ágatha 5, do governo federal, eles participaram de ação pioneira de prevenção ao uso de drogas nas fronteiras, onde atua o narcotráfico.

“Este ano, como a ação vai ser no Brasil todo, mais de 17 mil quilômetros de fronteiras, a gente ainda vai estudar onde seria a participação da Abrad”, disse. Ele explicou que a ação de prevenção às drogas nas fronteiras foi feita com crianças e adolescentes, a partir dos 10 anos de idade, por meio de cursos dados pela Abrad. “Isso faz a diferença”, avaliou.

Seguindo o modelo implantado na Europa e nos Estados Unidos pelas associações internacionais de psiquiatria, ele relatou que a intenção foi aproximar a Força Aérea das crianças. Além de palestras sobre prevenção, os militares falavam sobre aviação.

Notícias Relacionadas