Mãe de Eliza vai ao júri do goleiro Bruno nesta segunda-feira

”Não vou tirar o direito do Bruninho de conviver com o pai, como o Bruno tirou o do meu neto de conhecer a mãe e de ser protegido por ela’’, desabafa, aos prantos e quase sem voz, Sônia de Fátima Moura, 46 anos, mãe da ex-modelo Eliza Samudio. Tensa com o julgamento do goleiro Bruno de Souza, pai do menino, pelo assassinato de Eliza, e de outros quatro réus, ela garante que irá à audiência, a partir de amanhã, no 2º Tribunal do Júri de Contagem, em Minas Gerais.

“Vou ficar frente a frente com Bruno. Mas hoje, só de pensar, tenho enjoo”, dispara ela, que mora em pequena cidade do Mato Grosso do Sul. Apesar da mágoa contra o ex-goleiro do Flamengo, Sônia de Fátima tem consciência de que pode ter uma missão no futuro: zelar também pela convivência entre pai e filho. Abalada, ela revela que não quer a aproximação entre os dois, mas garante que jamais deixaria de atender a um pedido do neto.

“Fico nervosa só de pensar. Se um dia o Bruninho pedir isso, ficaria dolorida, mas atenderia o meu neto e respeitaria o direito dele”, revela, garantindo que tem apoio psicológico para lidar com a dor da perda da filha e para o que ainda pode vir pela frente, como a relação do menino com o pai.(O Dia).

Notícias Relacionadas