Família de Pâmela Baris, que morreu após lipoaspiração, diz que foi pressionada.

Os familiares não sabiam que Pâmela ia realizar uma nova lipoaspiração.(Foto: Reprodução/Record)
Após a morte de Pâmela Baris Nascimento, de 27 anos, ocorrida no último dia 19, durante uma cirurgia de lipoaspiração, a família da modelo declarou que não registrou queixa por orientação dos médicos. Em entrevista à TV Record, Alexandre Keller Abreu, primo de Pâmela, disse que o hospital alegou que “não havia necessidade”.

— A clínica está alegando que nós não quisemos fazer o boletim de ocorrência, mas foram eles que disseram que não precisava e que, se fizéssemos, demoraria mais para liberar o corpo.

Alexandre relatou, também, que os familiares não sabiam que Pâmela ia realizar uma nova lipoaspiração. Segundo ele, o hospital entrou em contato com a mãe de criação de Pâmela, que mora em Santa Caarina, para comunicar a morte da jovem. Ao receber o telefonema da clínica, a mãe da modelo achou que se tratava de um trote e desligou.

Porém, como os médicos insistiram, ela ligou para o sobrinho, que mora em São Paulo, e pediu para que ele fosse até a clínica verificar o que tinha acontecido.

— Os médicos ligaram e falaram que a Pâmela tinha falecido. Minha tia não sabia que ela ia fazer uma cirurgia. Se ela soubesse, ia proibir. Aí fui com minha mulher até o hospital e vimos que era verdade.

Na última quarta-feira (31), a Polícia Civil de São Paulo pediu a exumação do corpo da modelo. Segundo o delegado responsável pelo caso, Evandro Lemos, o corpo da jovem deveria ter sido levado ao IML (Instituto Médico Legal). O atestado de óbito dela foi feito pelo médico cirurgião.

O Hospital Green Hill, clínica onde Pâmela realizava a lipoaspiração, abriu sindicância interna para apurar a morte da modelo. Em nota, a instituição afirmou que “todas as informações colhidas serão documentadas e entregues às autoridades competentes conforme solicitação”. (R7)

Notícias Relacionadas

7 Comentários

  1. anonimo

    vaidade… sempre a vaidade… tinha corpo perfeito, sabia dos riscos… ja tinha feito varias cirurgias, um dia ia acontecer o pior

  2. Viviana Piccinini

    Isso faz parte de risco cirurgico, esse cirurgião era habilitado e capacitado para isso, tanto é que se fosse ruim ja teria aparecido outras reclamantes, isso prova que foi uma complicação cirurgica apenas…

  3. lucia silva

    independente de vaidade ou não, acho que a familia tem que correr atraz sim, e procurar saber a realidade das coisas que realmente aconteceram, chega de impunidade, só porque e medico pode sair matando sem dar satisfação, são seres humano como outro qualquer sujeito a erros e tem que ser punido de suas responsabildades sim afinal fizeram juramente de salvar vidas e não tirar vidas, se for fatalidade menos pior né! falo como mãe não deixaria de investigar!

  4. lucas

    coitada ela era linda e ainda queria ser mais ainda quem quiser me adicionar no facebook meu nome é lucas gabriel

  5. Dalton Jr.

    Pelo pouco que li e que sei, PERFURAÇÃO DE ÓRGÃOS, NESTE CASO DO FÍGADO, não entra no ROL DE RISCO CIRÚRGICO…

  6. André Martins Paes de Oliveira

    Coitadinha,uma garota tão linda e bonita que era Pamela Baris do Nascimento,morreu numa lipoaspiração,só tinha 27 anos,nem 30 anos tinha ainda,isso me dá vontade até de chorar.

  7. emily kozaqkevic

    TB fui vítima deste medico e gostaria de um contato com a familia para poder servir de testemunha contra ele.

Comentários estão suspensos