Policiais federais fazem manifestação em São Paulo por reestruturação da carreira

Bruno Bocchini
Agência Brasil

São Paulo – Policiais federais fizeram hoje (27) ato nacional pedindo a reestruturação da carreira de nível superior. Cerca de 300 escrivães, agentes e papiloscopistas, segundo os organizadores, chamaram a atenção das pessoas que passavam pelo Monumento às Bandeiras, nas proximidades do Parque Ibirapuera, com bexigas pretas e amarelas, carro de som, faixas, bandeiras e um elefante inflável.

“Nós esperamos chamar a atenção do governo, mais uma vez, para continuar com as negociações, disse o presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Federal em São Paulo, Alexandre Santana Sally. “Não é uma greve por salário. É uma greve pela restruturação da carreira”, ressaltou Sally.

A greve dos escrivães, agentes e papiloscopistas da Polícia Federal (PF) completou hoje 52 dias. Segundo o sindicato da categoria, os policiais federais com graduação e pós-graduação que atuam em funções complexas não têm reconhecimento legal. Desde 1996, no entanto, é exigido curso superior para ingresso na PF.

“As atribuições dos nossos cargos, apesar de termos nível superior, são de nível médio. Nós precisamos reestruturar a carreira, fazendo com que as atribuições acompanhem o nível de escolaridade exigido atualmente”, reforçou o sindicalista.

De acordo com o sindicato, em São Paulo, a greve da Polícia Federal atinge cerca de 70% do efetivo de escrivães, agentes e papiloscopistas.

Notícias Relacionadas