Polícia desarticula quadrilha que agia no Jardim Cajazeiras

Salvador – Uma quadrilha de traficantes e homicidas, que agia no Jardim Cajazeiras, foi desarticulada, nesta quartaa-feira (26), pela Polícia Civil. O líder Joel Cardoso dos Santos, seu filho, Joélton de Almeida Cardoso, e os comparsas Samuel Souza Nascimento, Joélton de Almeida Cardoso, Fabrício dos Santos Barreto, Jean Carlos Mesquita Melo e Diogo Souza Nascimento foram presos, durante a madrugada, pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que cumpria mandados de prisão e de busca e apreensão.

O resultado da operação, que contou com a participação da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) e da Coordenadoria de Operações Especiais (Coe), foi apresentado, na tarde desta quarta-feira, no DHPP, pelo diretor do departamento, delegado Arthur Gallas, e pela delegada da 3ª Delegacia de Homicídios (Baía de Todos os Santos), Simone Moutinho.

Foram apreendidos dois revólveres calibre 38, três sacolas plásticas contendo maconha e uma balança na residência de Joel e três automóveis, duas motocicletas e um terceiro revólver na casa de Jean Carlos. Os policiais encontraram ainda com o grupo uma CPU, um notebook, 17 aparelhos celulares, quatro relógios, embalagens e ampolas plásticas para drogas.

Joel dos Santos e Samuel Nascimento tinham mandados de prisão pelos homicídios dos parceiros de crime Tamires Conceição da Silva – encontrada morta com vários tiros, na Estrada de Mapele, em Simões Filho, em fevereiro deste ano – e de seu namorado, identificado como “Cantor”, assassinado um mês antes, no Jardim Cajazeiras. Ambos integravam a quadrilha e teriam sido eliminados por causa de dinheiro: Tamires tinha uma dívida com Joel, enquanto Cantor, responsável pelas bocas de fumo, estava desviando parte do faturamento.

Os demais integrantes do grupo foram presos e autuados em flagrante por tráfico de drogas, associação para o tráfico e posse ilegal de arma de fogo. Os seis criminosos permanecerão custodiados na carceragem do Complexo Policial da Baixa do Fiscal, à disposição da Justiça Criminal.

Notícias Relacionadas