Grã-Bretanha envia navio de guerra para vigiar ilhas Malvinas

O destróier HMS Dauntless, que será substituído pelo HMS Edimburgo
O destróier HMS Dauntless, que será substituído pelo HMS Edimburgo
AGÊNCIA ANSA

Londres – O governo da Grã-Bretanha enviou para as ilhas Malvinas o destróier HMS Edimburgo, em uma “operação de rotina” e que coincide com a renovação do pedido de discussão sobre a soberania do arquipélago à Organização das Nações Unidas (ONU), pela presidente da Argentina, Cristina Kirchner.

O envio da embarcação nesta segunda-feira foi confirmado hoje por meio de um comunicado do Ministério da Defesa em Londres. A viagem do HMS Edimburgo, cuja partida ocorreu no porto inglês de Portsmouth, “tem como objetivo desempenhar uma série de tarefas no Atlântico que suportem os interesses britânicos no mundo”.

“Essas ações incluem apoiar os países do oeste da África na luta contra o narcotráfico e também levar a tranquilidade aos territórios do Reino Unido e suas dependências no Atlântico Sul, como as ilhas Falklands [Malvinas] e as Georgia do Sul”, diz o comunicado.

De acordo com o ministério inglês, o HMS Edimburgo irá substituir o destróier da Marinha Real britânica HMS Dauntless, que durante o primeiro semestre deste ano fez o patrulhamento nas Malvinas e em outras ilhas da região.

A presença da frota militar britânica no Atlântico Sul, no entanto, foi denunciada nesta terça-feira, durante a Assembleia Geral da ONU, pela mandatária argentina. Em seu discurso, Cristina voltou a pedir “um diálogo sobre a soberania das Malvinas, além da desmilitarização nas águas da região”. “Assim como a América do Sul, essa é uma zona de paz”, disse.

AnsaLatina

Notícias Relacionadas