MP implicou PT em crime, e não ‘conservadores’ como diz Lula

CLÁUDIO HUMBERTO

Lula tem dito que os “conservadores” atribuem falsamente ao PT o assassinato do prefeito Celso Daniel, em 2002. Mas nas investigações do Ministério Público, jamais concluídas, aparecem vários petistas. Entre eles o deputado estadual Donisete Braga, hoje candidato à prefeitura de Mauá, no ABCD. Do celular de Braga partiram ligações para Sérgio Gomes da Silva, o “Sombra” – suspeito de ter sido o mandante – entre 19 e 20 de janeiro de 2002, o dia do crime.

Ligações perigosas – Segundo o MP, as ligações entre Donisete Braga e Sergio Sombra, foram captadas de torres da região onde Celso Daniel foi assassinado.

O álibi de Donisete – Donisete se defendeu dizendo que esteve em reunião no Palácio dos Bandeirantes até as 23h45 e que depois voltou a Santo André.

São muito distantes – Em laudo, a Vivo descartou que as ligações no Bandeirantes pudessem ser captadas em Embu e Taboão da Serra, região do crime.

Resposta de Braga – O deputado Donisete apresentou depois projeto (nº 575/03) reduzindo antenas no Estado, transferindo sua regulamentação aos municípios. (Coluna de Cláudio Humberto)

Notícias Relacionadas