Bimotor que desapareceu em Ilhéus levava corpo para velório em Brasilia

O helicóptero H-34 Super Puma irá do RJ para participar do resgate (Foto: Reprodução)
Equipes de Busca e Salvamento de Recife (Salvaero) da Aeronáutica tentam descobrir informações sobre o bimotor Embraer 810 Sêneca que desapareceu durante um voo que saiu às 22h55 da segunda-feira (24/9) de Ilhéus, na Bahia, e pousaria em Brasília aproximadamente às 1h25. A aeronave perdeu contato com a base logo após a decolagem.

De acordo com a Aeronáutica, as buscas aéreas começaram por volta de 13h de hoje. Segundo a assessoria de imprensa, na noite de ontem os órgãos fiscalizadores aguardaram o tempo estimado de chegada do avião à capital federal e, como não houve registro da chegada, foi feito um planejamento de resgate.

Na manhã desta terça-feira (25), duas aeronaves especializadas foram acionadas para iniciar a operação: um avião SC-105 Amazonas, que saiu de Campo Grande, e um helicóptero H-34 Super Puma, que se deslocou do Rio de Janeiro.

A Delegacia da Capitania dos Portos da Bahia da Marinha, em Ilhéus, informou que duas embarcações com sete militares – no total – fazem rondas desde às 8h em áreas planejadas pela Força Aérea Brasileira (FAB). Segundo agentes, o tempo está bom para navegação, mas até agora não foi encontrado nenhum sinal do Sêneca.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que a aeronave é de categoria privada e está em situação regular. Por isso não é possível divulgar a identificação do proprietário. A capacidade máxima do avião é de cinco passageiros, mas ainda não há dados sobre a tripulação. Segundo a Infraero, há hipótese de que a aeronave tenha saído da rota e tenha perdido o contato com a base. (Correio Braziliense)

Notícias Relacionadas