Bimotor desaparece depois de decolar do aeroporto de Ilhéus

Salvador – Um bimotor Sêneca PA-34 desapareceu na madrugada desta terça-feira (25) após decolar do aeroporto de Ilhéus, região sul da Bahia, para a cidade de Brasília, no Distrito Federal, segundo informações da TV Bahia e do G1/Bahia, citando a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) em Ilhéus. Informações preliminares do órgão apontam que além do piloto, outras duas pessoas estavam na aeronave.

De acordo com o G1, duas aeronaves do esquadrão de busca e resgate da Força Aérea Brasileira (FAB) foram deslocadas para a região do acidente, de acordo com a Aeronáutica. As buscas aéreas serão visuais e dependem de condições favoráveis do dia para acontecerem.

“Logo depois da decolagem, que ocorreu por volta das 23h, não obtivemos mais contato com o piloto, chamamos e ele não retornou. Depois constatamos que a aeronave não chegou ao seu destino e acionamos os órgãos de salvamento”, diz João Bosco Bezerra, superintendente da Infraero em Ilhéus.

Ainda de acordo com a Infraero, o tempo era considerado bom no momento da decolagem da aeronave de pequeno porte, com a presença de poucas nuvens no céu, que não comprometeriam o voo. “Trabalhamos com hipóteses, não há nada de concreto ainda. Provavelmente a aeronave tomou outro destino, que estamos fazendo levantamento, ou acusou algum problema e pousou em outra área. Aguardamos o contato do piloto, essa é a expectativa de todos”, afirma João Bosco.

A aeronave de prefixo PT-RDG circula de forma regular, segundo registro na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O superintendente da Infraero explica que buscas são realizadas tanto em terra quanto no mar. Uma área de aproximadamente um quilômetro, situada entre dois hotéis do litoral, são percorridas, além de cerca de três milhas adentrando o mar. A Salvaero e a Marinha trabalham nas buscas, contando com o apoio de barcos pesqueiros da região.

O comando do 2º Distrito Naval, por meio da Delegacia da Capitania dos Portos em Ilhéus, trabalha nas buscas desde as 6h, com sete militares, utilizando duas embarcações. “Uma embarcação faz busca marítima na costa de Ilhéus, nas proximidades do aeroporto, e a outra na área fluvial, no rio do Engenho e rio Cachoeira. Ainda não são utilizados mergulhadores, por enquanto as buscas são realizadas na superfície”, pontua o comandante Alexsandre Teixeira.

Notícias Relacionadas