Intervenção na TWB: população exige resultado e não show de pirotecnia.

Há dois anos o JORNAL DA MÍDIA denunciou que o ferry "Ipuaçu" estava com um rombo no casco, fazendo água e abandonado pela TWB em Bom Despacho. O governo sabia de tudo. E por que não agiu para evitar o prejuízo maior agora? Parece até coisa proposital, combinada.

REDAÇÃO DO JORNAL DA MÍDIA

A decretação pelo governador Jaques Wagner da intervenção na concessionária TWB foi um ato elogiável e que mereceu o apoio da opinião pública. O sistema ferryboat foi ao fundo do poço por conta dos desmandos praticados pela TWB, que está deixando um rombo sem precedentes para o povo pagar.

Fala-se em mais de R$ 20 milhões.

Enquanto isso, na Seinfra o secretário Otto Alencar já acionou os holofotes para mais uma entrevista coletiva hoje à tarde. É um oba-oba sem fim...
Mas é preciso se dar um basta ao oba-oba sem tamanho por conta da intervenção. É preciso se desligar os holofotes e se encerrar o show de pirotecnia. Muita gente aparecendo na mídia como verdadeiros heróis e salvadores da pátria. Alguns nunca sequer entraram em um ferry para sentir como o usuário é maltratado, sacrificado.

O oba-oba pró-governo é tão intenso que já tem até vereador de Itaparica querendo propor a construção de duas estátuas no Terminal Marítimo de Bom Despacho. Uma para Otto Alencar, secretário de Infraestrutura e vice-governador, e outra para Eduardo Pessoa, diretor-executivo da Agerba.

Seria uma proposta ridícula. É aconselhável se deixar essa iniciativa para quando o governador Jaques Wagner conseguir ”inaugurar” a ponte Salvador-Ilha de Itaparica, cujo edital de licitação foi anunciada pelo governo que seria publicado no meio do ano passado. Até agora o projeto não saiu do papel e ninguém fala mais nada.

Repetindo, a intervenção na TWB, apesar de tardia, foi a melhor saída para o governo salvar o que restou de um sucateadíssimo sistema. Mas não se deve esquecer que foi o próprio governo Wagner que permitiu que o sistema ferryboat fosse sucateado, que o patrimônio público fosse dilapitado.

A TWB, que chegou à Bahia pelas mãos de Paulo Souto, em 2005, passou somente dois anos sendo ”fiscalizada” pela gestão anterior. No governo atual, foram nada menos que cinco anos, fazendo o que queria no sistema. O Estado falhou de forma condenável ao negligenciar e deixar de cumprir o seu papel de agente fiscalizador.

Há quem afirme que a intervenção na TWB teve caráter político e ajudará o PT nas eleições municipais de Salvador e de Vera Cruz, na Ilha de Itaparica.

Preferimos até não acreditar nessa possibilidade, mas as evidências também são fortes, já que o governo poderia ter feito a intervenção desde maio ou junho ou há um ano e preferiu decretá-la somente agora, 15 dias antes das eleições municipais.

Só com o obo-oba da intervenção o sistema ferryboat não vai sair da situação precaríssima em que se encontra, funcionando com apenas três embarcações.

O feriadão de 12 de outubro vem aí. Com apenas três ferries se garante uma operação pelo menos razoável? Claro que não. Se a demanda crescer como se espera, o quadro de caos no atendimento da TWB tem tudo para se repetir.

A partir de agora, a responsabilidade é toda do governo. Se negligenciar e se falhar, vai ser penalizado porque o usuário do ferryboat não suporta mais a situação vexatória do sistema. É preciso se esquecer a intervenção e trabalhar com determinação.

A população exige resultado da ação do governo e não vai demorar muito para cobrar com veemência o seu direito de ter um transporte digno para a Ilha de Itaparica.

Como veículo de comunicação independente, sem ligações com qualquer grupo político e que não faz parte da mídia controlada, o JORNAL DA MÍDIA seguirá atento e denunciando tudo que for de encontro aos verdadeiros interesses da sociedade.

Leia também:

Notícias Relacionadas

12 Comentários

  1. Lenise Ferreira

    1. Todos sabem da minha independência em relação a grupos políticos e da luta que venho travando por conta das melhorias urgentes e necessárias no sistema de transporte para a Ilha de Itaparica.

    Primeiro: não vejo porque o secretário Otto Alencar possa se vangloriar por cumprir a sua obrigação que tardou a acontecer. Avalizar as propagandas enganosas da concessionária que saiu resultou no caos que hoje vivemos.

    Segundo: A proposta do vereador citado na matéria acima não deve passar de piada. Desde quando devemos reverenciar fulano ou cicrano por cumprir a sua obrigação fazendo prevalecer o direito do cidadão que neste caso esteve ferido. Se, o referido vereador for da atual gestão, tão menos credibilidade posso dar, pois, o que vi numa audiência pública que participei foi total conivência com os desmandos da TWB. Desejo que a câmara de vereadores de Itaparica seja totalmente renovada e que não tenhamos no novo quadro pessoas comprometidas com as falcatruas da TWB como é do conhecimento de todos a existência de candidato bancado por aquela concessionária.

    Feito o estrago pela TWB e instalado o caos finalmente a justiça exigiu providências do Estado que através do Diretor Executivo da AGERBA promoveu a intervenção que completará quinta-feira 8 dias. Estive no último sábado com o Dr. Eduardo Pessoa e com o Sr. Bruno Moraes conversando sobre as ações urgentes a serem adotadas. Entendo que é preciso um pouco mais de paciência para se resolver os problemas que, segundo Dr. Eduardo Pessoa, tem como uma das prioridades o pagamento dos funcionários para mantê-los motivados. A TWB “raspou” os caixas, não ficou nada para cumprir compromissos trabalhistas e contratuais inclusive com fornecimento de combustível. As dívidas se acumularam. Ele me disse que pretende adotar medidas urgentes que deverão ser preservadas pela empresa que deverá assumir posteriormente.

    Os problemas são diversos e na grande maioria gravíssimos a exemplo do estado da embarcação PINHEIRO que, assim como o IPUAÇU encontra-se como motores e casa de máquinas seriamente comprometida e sem condição de passar por simples reformas. Será preciso troca de todo maquinário para que possa surtir efeito e segurança aos usuários e que não fiquem quebrando a todo o momento. Funcionários que recebiam vales refeição para pagar débitos da concessionária com os mesmos e eram obrigados a usar tão somente num restaurante bastante modesto e sem condições de oferta de produtos de boa qualidade. As ações devem passar pelos terminais hidroviários de forma que deverá favorecer a usuários e comerciantes ali estabelecidos, passarão ainda pelo terminal rodoviário de Itaparica para aumentar a quantidade de baias e reduzir os problemas das filas que invadem a rodovia.

    Resumindo, como empresária, como cidadã e usuária do sistema ferry boat, compartilho das mesmas preocupações aqui expostas mas, entendo que precisamos dar um voto de confiança e permitir que por alguns dias os interventores possam raciocinar sobre as soluções que eles sabem precisam vir com urgência. Eles reconhecem as necessidades do povo e solicitam este voto de confiança.

    Na oportunidade sugeri ao Sr. Eduardo Pessoa e ao Sr. Bruno a mudança dos horários, que voltem a ser como antigamente para evitar uma série de transtornos. Por exemplo: embarcações lentas que causam atrasos muitas vezes chegam ao local de desembarque e encontram gavetas ocupadas pois os horários coincidem. Com os horários praticados como antes isto deverá ser evitado e não trará prejuízos para ninguém. Propus também estender horários noturnos para compensar e melhor distribuir a quantidade de veículos para embarque.

    Acredito que propondo soluções, apontando caminhos estaremos contribuindo para a celeridade das medidas a serem adotadas. Quanto a desmandos e descasos que possam voltar a acontecer como antes, também estarei atenta para combater como tenho feito até então.

    Vamos tentar manter a calma neste momento e dar um voto de confiança aos profissionais que estão trabalhando pelas melhorias tão necessárias no sistema de transporte ferry boat.

  2. caue

    Compactuo da mesma opinião da Srª. Lenise, sabemos que neste períodoos holofotes serão muitos pra alguns ‘parasitas’ que se aproveitam de situações caóticas para trazerem para sí as luzes do show. Mas também existem pessoas compromissadas com o serviço público que, neste caso, deve-se dar um voto de confiança durante a transição. O que nós, como usuário podemos fazer no momento é dar sugestões para que os transtornos sejam minimizados neste período de mudanças. Vamos utilizar a Ouvidoria/AGERBA (0800 071 0080) para sugerir mudanças, opinar, denunciar e ajudar na melhoria do transporte. Deixemos de ser a “pedra na vidraça” e precisamos colaborar, para daí em diante cobrar a quem compete.

  3. Ferdnando

    Seu Cauê, Seu Cauê, mas me faça uma Garapa com esta Ouvidoria da Agerba. Mande me matar que é melhor. Um cabide de emprego desgraçado, cheio de gente incompetente, até hj eu só conheci um ouvidor competente na Agerba que foi Paulo o resto foi só enrolação. Por favor seu Cauê procure se informar melhormpq esse cargo aí de Ouvidor ou Ouvidora da Agerba foi rifado há muito tempo. Só entra quem tem negócio se oriente moço.

  4. ManoelAraújo Oliveira

    Concordo inteiramente com o artigo do Jornal da Mídia. Tem muita gente querendo aparecer. Será que antes não sabiam do rombo? Duvido muito já que as denúncias eram feitas todas pelo jornal, como sucateamento, roubo de peças, desvio de dinheiro etc. agora o diretor da agerba confirmou tudo.

  5. Jean Rii

    Pois concordo com tudo dito pelo usuario Manoel. Em materias passadas, aqui mesmo no jornal da midia, foi relatado que não apenas um ou dois relatorios simplesmente sumiram, ao serem enviados para gerencia da AGERBA.
    Fico preocupado com esta defesa inconsequente que pessoas ligadas a partidos politicos fazem. Tudo bem que defenda seus interesses e de seus respectivos “times” politicos, seja ele do 13, 25, 15, 28, 50… ou outro qualquer.
    Do jeito que anda o universo politico, o certo é olhar mesmo com desconfiança. Estamos em um ano eleitoral e qualquer ação, pode virar ação de campanha e não podemos olhar a questão apenas com a visao superficial sobre a questão. Como foi bem dito pelo jornal, é hora de desligar os holofotes e trabalhar para recuperar o que foi perdido. Não podemos nos deixar nos enganar, novamente.

  6. Pablo

    Gostei das declarações do secretário Otto Alencar que recomendou ao presidente da Agerba entragar a sonegação da TWB, o roubo, a roubalheira, para a polícia. Eu quero é que prenda gente tem muita gente aqui dentro da Agerba que vivia nas costas da TWB, diretores, ex-diretores, assessores, um grupo de acionistas marginal, puxasacos da TWB, que vivia de favores da TWB, puxasacos do Pinto dono da TWB. Essa turma esse bando de corruptos devia ir mesmo pra cadeia. Parabéns DR. Otto parabéns Dr. Eduardo. Entrega esse pessoal a polícia todo mundo tem que ser investigado gente que tava na folha da TWB mesmo não estando mais na Agerba.

  7. mauro marconi

    A Agerba dormia a sono solto durante 7 longos anos, se induzida a dormir não sei, mas o MPBa deveria investigar este lado da moeda!

  8. Mauricio Vergne

    Omissão ou Conivência?

    As ações marginais da Empresa TWB, foram tratadas com benevolência e omissão, pelos vereadores e Prefeito de Itaparica, vereadores e Prefeito de Vera Cruz, deputados baianos, vereadores de Salvador, Governador Jaques Wagner e pela própria Agerba.
    Não deram ouvidos às inúmeras denuncias feitas através da empresária e atuante defensora dos direitos do povo castigado da Ilha de Itaparica, Lenise Ferreira.
    Agora vão se fazer de “Salvadores da Pátria”, estes que permitiram à Empresa Marginal TWB, proporcionar tanto sofrimento e constrangimentos ao povo baiano e aos visitantes, da Ilha de Itaparica-BA.
    Foi preciso chegar onde chegou para que o Governo da Bahia, tomasse providências aos crimes praticados pela TWB.
    E quem vai pagar esta conta?

    ? ? ? ?
    Mauricio Vergne

  9. Pietro Rizzuto Neto

    Senhores,

    O sistema ferry boat está com sérios problemas e isso não é de hoje. Penso que estão deixando ficar assim propositalmente, para depois poderem justificar a construção bilionária da Ponte Salvador-Itaparica.

    Li em uma reportagem que o custo estimado dessa POnte seria algo em torno de 7 bilhões de reais.

    Pra mim é um valor que inviabiliza totalmente a obra e seu possível retorno financeiro.

    Ao Invés de gatar 7 bilhões com uma ponte, o governo poderia resolver o problema de forma definitiva investindo muito menos dinheiro da seguinte forma:

    Construindo mais 5 ferrys do modelo Ivete e Ana Nery e os colocando no lugar das sucatas que temos hoje, e fazendo as obras necessárias nos terminais de embarque para que possam acomodar esses ferrys.

    Dessa forma teríamos 7 ferrys do mesmo modelo do Ivete, com capacidade de efetuar a travessia em 30 minutos e no sistema de bate e volta.

    Acho que o custo desse modelo não chegaria nem a 1 bilhão e resolveria o problema da travessia Salvador-Ilha….

    Pensem nisso

  10. paulapin143

    CADÊ AS MELHORIAS? O GOVERNO ESTÁ GASTANDO R$36 MILHÕES PARA RECUPERAR FERRO VELHO! POR QUE JÁ NÃO CONTRATOU UMA EMPRESA EM CARATER EMERGENCIAL COM EMBARCAÇÕES NOVAS? PRESTEM MUITA ATENÇÃO NO DOE DO DIA 17/10, PORTARIA CONSTITUI COMISSÃO QUE IRÁ ELABORAR OS TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A NOVA MODELAGEM, CONSTITUIDA DE IVAN BARBOSA, WALTER TAVARES E RONDON BRANDÃO DO VALE. JÁ TEM DESTINATÓRIO CERTO! PRECISAMOS EXIGIR TRANSPARÊNCIA!
    POR QUE NÃO? TEM MARACUTAIA SIM! OS USUÁRIOS NÃO PODEM ESPERAR! INTERESSES PARTICULARES ESTÃO SOBREPONDO OS INTERESSES COLETIVOS DOS USUÁRIOS. É BOM FICARMOS ATENTO E DENUCIARMOS!

  11. paulapin143

    E aí AGERBA/SEINFRA, CADÊ AS MELHORIAS DO SISTEMA? POR QUE AINDA NÃO FEZ UM CONTRATO EMERGENCIAL COM ALGUMA EMPRESA IDÔNEA E CAPAZ DE OPERAR O SISTEMA? A NOVA MODELAGEM SERÁ CONSTRUIDA NOS GABINETES DA SEINFRA E AGERBA? O POVO BAIANO QUER SABER! CADÊ A TRANSPARÊNCIA NOS GASTOS DAS EMBARCAÇÕES QUE ESTÃO SENDO RECUPERADAS? O QUE SERÁ DO VERÃO ?
    ACHO QUE É PRECISO FISCALIZAR! QUAIS OS INTERESSES QUE ESTÃO POR TRAZ? O JORNAL DA MÍDIA QUE SEMPRE FOI ATUANTE DEVERIA AGORA INFORMAR ESSAS IDAGAÇÕES!

Comentários estão suspensos