Transportadores de Valença e de Morro de São Paulo defendem saída da TWB dos terminais


O atracadouro do terminal da Ponta do Curral já desabou algumas vezes por falta de manutenção
REDAÇÃO DO JORNAL DA MÍDIA

Salvador – Depois da intervenção na TWB, que deixou o sistema ferryboat após sete anos de operação desastrosa, os operadores do transporte marítimo de Valença e Morro de São Paulo iniciaram uma campanha para defender junto ao governo a saída imediata da TWB da gestão dos terminais de Morro de São Paulo, Gamboa e Ponta do Curral.

A TWB administra esses terminais desde 2006. A concessão foi concedida sem licitação pública pelo então governador Paulo Souto.

“O abandono dos equipamentos é total e a Agerba já chegou há um ano a fazer a intervenção, mas a TWB retomou os equipamentos através de ação na Justiça. Essa empresa, que afundou o sistema ferryboat, não pode continuar aqui”, afirmou o presidente da Associação dos Transportadores Marítimos (Astram), Romilson Muniz. A entidade congrega os marítimos do Baixo Sul da Bahia.

Muniz considera “uma vergonha” a forma como a TWB opera os terminais. “São milhares de turistas que utilizam. Não existem sanitários, a ponte de atracação de Morro de São Paulo está em péssimas condições e o atracadouro de Ponta do Curral já desabou diversas vezes. Passou da hora da Agerba tirar a TWB daqui também”, sustentou o presidente da Astram.

Quando fez a intervenção nos três terminais, em março de 2011, a Agerba divulgou que o motivo era a caótica situação em que os equipamentos se encontravam em termos de manutenção, pondo em risco, inclusive, a vida de milhares de usuários do transporte marítimo.

A intervenção da Agerba foi em cumprimento a uma decisão do promotor de Justiça Tiago de Almeida Quadros, do Ministério Público de Valença. Em 6 de outubro de 2010, o promotor ingressou com uma ação civil pública contra a TWB e a Agerba, por descumprimento de forma reiterada do contrato de concessão. A ação foi acatada pelo juiz de Direito Danilo Barreto Modesto, que determinou a intervenção imediata da agência de regulação, tirando a TWB das operações.

Notícias Relacionadas

4 Comentários

  1. Fedegoso

    Peraí! Peraí! Como é o negócio?…contrato de concessão? E foi licitado? Como que um bem do povo (do Estado) passa a ser gerido por particulares sem um processo licitatório? E não consta nos anais do …tal contrato com a TWB não. Ou tem? Sem publicação? Sem mais nada ? Peraí! Peraí! Não será a União quem determina sobre portos em beira de mar? Olha! Olha! Tem mais outro vespeiro para ser mexido ?

  2. Romilson muniz

    Nos maritimos do baixo sul pecisamos devoces da justica, governo da Agerba,da imprensa e de todos quem possa nos ajudar a tirar esse mal daqui do baixo sul sai TWB.

  3. Lenise Ferreira

    ROMILSON,

    amigo, eu juro que pensei que este problema tinha acabado, não parei para raciocinar. Mas, como disse o Sr. Fedegoso, não houve um processo de licitação, se houve, procure apurar, conhecer. Procure imediatamente o MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL para que tudo seja investigado. SE PRECISAR DA MINHA AJUDA saiba que estou ao seu dispor. Vamos fazer uma representação contra esta empresa. Te ajudo na elaboração.
    Vcs terão uma gama imensa de argumentos para solicitar a saída desta empresa daí. Leia hoje no site da AGERBA alguns dos “acahdos” que a auditoria fez. Coisas que todos nós já sabiamos mas que só agora foi “visto” pela SEINFRA/ AGERBA.
    Lute amigo, junta esta turma daí e corram para o MP-BA. COntem comigo

  4. Romano Dias

    Este é o caso e esta é a picaretagem que rola com esta empresa lenhada. Agora muita gente grande recebeu…todo mundo que contribuiu, dando exploração de terminais sem licitação, recebeu dinheiro, esse pessoal tem que ser investigado. quem eram os diretores da Seinfra da Agerba, tem q botar a policia atrás desses caras. vcs são ladrões. como é que dá terminal para a TWB explorar sem ter concessão será que a diretoria atual da agerba esqueceu disso? Não acredito. uma esculhambação.

Comentários estão suspensos