Wagner afirma que rompimento do contrato da TWB acontece até terça-feira

REDAÇÃO DO JORNAL DA MÍDIA

A intervenção no sistema ferryboat, explorado pela concessionária paulista TWB, pode ser decretada no início da próxima semana – segunda ou terça-feira -, segundo garantiu hoje (19) o governador Jaques Wagner. Ele acrescentou que o governo, através da Agerba, não podia fazer a intervenção ”de uma hora para outra, na doida” porque precisava se preparar o processo, com a definição das equipes que vão atuar e a escolha da empresa que vai assumir o sistema em caráter emergencial.


Na entrevista à TV Record, Wagner tentou aliviar o desespero dos donos da TWB. Disse que a empresa foi a ”melhorzinha” das três que passaram pelo ferryboat. Na verdade, quem conhece do assunto não tem dúvida: foi a piorzinha. Como considerou Eduardo Pessoa, diretor da Agerba: “A TWB é uma tragédia anunciada”.

Wagner deixou claro que com a TWB o diálogo realmente deixou de existir, reafirmando o que Eduardo Pessoa, diretor-executivo da Agerba, tinha anunciado há uma semana em debate na Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa.

O governador explicou que o dono da TWB, Pinto dos Santos, esteve em seu gabinete, e já foi informado da situação.

“Quando uma relação não está boa, é melhor o rompimento. É assim que acontece no casamento. É uma coisa normal”, observou o governador.

Wagner admitiu que a questão do rompimento do contrato pode acabar na Justiça. Mas disse ter a convicção de que a TWB não terá direito a nada, já que a Agerba se cercou de todas as garantias e concedeu todos os prazos e direitos possíveis para a TWB se manifestar sobre a necessidade de investimentos imediatos na melhoria do sistema ferryboat. E a TWB, concretamente, nada esclareceu.

Foi a falta de investimento, aliás, que levou o sistema ao fundo do poço. A TWB, que tem um contrato de 25 anos assinado no governo de Paulo Souto, diz que vai pedir R$ 196 milhões de indenização. A empresa já admite, hoje, que está fora do sistema.

Eduardo Pessoa, diretor da Agerba, que, aliás, foi elogiado pelo governador pelo trabalho que desenvolveu em cima da TWB, acha que a concessionária paulista não vai levar um centavo sequer do Estado – ”ela, a TWB é quem deve muito à Bahia”.

E deve mesmo, por muitos motivos, alguns de extrema gravidade, como:

1. Sucateamento completo das embarcações, com enormes prejuízos ao Estado.

2. Falta de investimento;

3. Desaparecimento de equipamentos do patrimônio público em seu poder (duas balsas de apoio);

4. Não pagamento de multas (mais de R$ 6 milhões);

5. Superfaturamento dos ferries “Ivete Sangalo” e “Anna Nery”;

6. Sonegação dos números reais sobre o transporte de passageiros e veículos no sistema (os números da TWB eram 20% inferiores aos da Agerba, que quer saber qual era o destino dos 20% de faturamento não contabilizados);

7. Péssimo atendimento aos usuários;

8. Não cumprimento de diversas cláusulas do contrato de concessão.

Esses são apenas algumas das inúmeras irregularidades detectadas pela Agerba, através de uma auditoria feita pela consultoria Fipecafi, de São Paulo.

O governador Wagner disse até – talvez para aliviar um pouco o desespero que tomou conta dos donos da TWB -, que a concessionária das três letrinhas foi a ”melhorzinha” entre às três que passaram pelo ferryboat – as outras duas foram a Comab e Kaimi.

Não foi não, Wagner. Foi a piorzinha, sem nenhuma dúvida. As outras duas não causaram tanto estrago na Bahia. A TWB é unanimidade em termos de serviço de péssima qualidade. Demonstrou incapacidade e incompetência operacional para gerir o sistema. A população está aí e pode ser consultada. Vamos virar essa página depressa.

Notícias Relacionadas

2 Comentários

  1. MARINHEIROS MERCANTE

    Quero resposta.

    ESTAMOS DE LONGE ASSISTINDO A BRIGA DA TWB /GOVERNO, E PERMANECE UMA GRANDE PREOCUPAÇÃO DENTRO DE NÓS COLABORADORES. QUEM OLHA PARA NÓS? QUEM SE COMOVE POR NÓS PAIS DE FAMÍLIA? QUEM LUTA PELOS NOSSOS DIREITOS? TEMOS FEITO DAS TRIPAS CORAÇÃO, PARA CONDUZIR EMBARCAÇÕES ANTIGAS (COM EXCEÇÃO DO F.IVETE E ANNA NERE), SEM MANUTENÇÃO PREVENTIVA E OUVINDO DESAFORO CONSTANTEMENTE DE USUÁRIOS QUE TEM MUITAS VEZES SEUS DIREITOS VIOLADOS, ASSIM PROCURAM ALGUÉM COMO CULPADO PARA DESABAFA SUAS QUEIXAS DESAFORADAS. NÓS POR SUA VEZ, PROCURAMOS BUSCAR FORÇAS E EQUILÍBRIO EMOCIONAL, POIS JÁ ALGUNS ANOS, TEMOS OS NOSSOS DIREITOS VIOLADOS, COMO:
    1. DUAS A TRÊS FÉRIAS VENCIDAS,
    2. FGTS SEM SER RECOLHIDO,
    3. RETROATIVO DE 2010, QUE ESTÁ SENDO PAGO AGORA (2012), POR SEMANA, NO CARTÃO ALIMENTAÇÃO,
    4. ACORDO COLETIVO DE 2011, QUE NÃO FOI FEITO,
    5. E 2012 QUE ESTÁ VENCEDO ESSE MÊS (SETEMBRO),
    6. LOGO COM UM SALÁRIO DEFASADO
    INFELIZMENTE ESTAMOS CONVIVENDO COM UMA CORRUPÇÃO! POIS O SINDICATO QUE DEVERIA RESOLVER ESSAS QUESTÕES, ESTA COM OS BRAÇOS CRUZADOS, COMENDO NA MESA DE NOSSO PATRÃO. E AGORA COM A POSSÍVEL SAÍDA DA TWB, ESSE SINDICATO TENTA PERSUADIR A CATEGORIA, A DÁ APOIO A TWB, ALEGANDO QUE ELA NÃO TEM CONDIÇÕES DE PAGAR NOSSA RECISÃO, ASSIM É MELHOR FICAR COM ELA, POIS IRAR CUMPRIDO SUAS OBRIGAÇOES COM OS SEUS COLABORADORES PROPOCIONALMENTE.
    COM A SUA SAIDA, O GOVERNO NÃO TOMARAR NENHUMA MEDIDA, PARA COM NÓS COLABORADORES. QUEM VAI ARCAR COM OS NOSSOS DIREITOS, QUEM INTERCEDERAR POR COLABORADORES QUE TRABALHAM INCANSÁVEL PARA MANTER NOSSAS FAMILIAS, CARREGANDO A CULPA DE ERROS QUE NÃO SÃO NOSSOS!
    QUEM PAGARÁR NOSSA RECISÃO? SERÁ QUE VAI ACONTECER O MESMO QUANDO A COMAB SAIU? QUE FOI A MAIOR LUTA PARA RECEBERMOS A RECISÃO? QUEM PODE NOS RESPONDER?

  2. funcionario revaltado

    E os funcionarios como vai ficar com essa situação?

Comentários estão suspensos