TV troca o jornalismo por propaganda oficial

LUÍS AUGUSTO GOMES

Em respeito a sua audiência, a TV Itapoan/Record deveria colocar o dístico “informe publicitário” nas entrevistas que periodicamente o apresentador Raimundo Varela faz com o governador Jaques Wagner.

A participação de Wagner no programa de hoje, como em anteriores, pode até não envolver interesses comerciais, mas tem todo o aspecto de propaganda, até com filmes e animações ilustrando a conversa amena a cada tema abordado.

Pôde-se ver a cidade cortada por linhas de metrô, avenidas magníficas dando fluidez ao tráfego e mesmo a velha ponte Salvador-Itaparica, que, pelo tempo de exposição ao salitre, já deve estar precisando de uma reforma.

Após minutos de salamaleques, bem longe do seu “estilo”, o apresentador vibra com as informações da viagem do governador e afirma que “a Bahia vai ter a Ford, a Foton e a JAC Motors”, das quais, na verdade, só existe a Ford, e bem antes de Wagner.

Propaganda irregular – Em meio às promessas e protocolos de intenção anunciados, o governador aproveitou para dizer que esteve sexta-feira com Lula, a quem chama de “presidente”, atribuindo-lhe influência na administração do país, “no comício de Nelson Pelegrino”. (Por Escrito)

Notícias Relacionadas