TST ordena que 40% da ECT trabalhem, sob pena de multa diária de R$ 50 mil

CLÁUDIO HUMBERTO

A ministra Cristina Peduzzi, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que presidiu nesta quarta-feira uma tentativa frustrada de conciliação entre representantes dos funcionarios em greve dos Correios (ECT) e a direção da estatal, deferiu liminar determinando que ao menos 40% do efetivo de funcionários da ECT deve trabalhar normalmente, em cada unidade da federação, sob pena de multa diária de R$ 50 mil para os sindicatos que representam os grevistas.

Os grevistas bem reajuste de 43%, contratação imediata de mais 30 mil funcionários e redução de horário de trabalho, a fim de que as cartas passem a ser entregues apenas no período da manhã. Como não houve acordo, a ministra Cristina Peduzzi encaminhou o caso à ministra Kátia Arruda, que será relatora do dissídio coletivo. (Coluna de Cláudio Humberto)

Notícias Relacionadas