New Hit: garotas violentadas estão sob proteção da Secretaria da Justiça.

Os pagodeiros estão presos no presídio de Feira desde o dia 31 de agosto
As duas adolescentes de 16 anos que acusam integrantes da banda New Hit de estupro estão sob a custódia do Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte, da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos. O programa foi acionado pelo Conselho Tutelar de Ruy Barbosa.

Laudo realizado pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) confirmou que houve violência sexual contra as duas adolescentes.

Foi reconhecida a necessidade de proteção diante das ameaças sofridas pelas jovens e familiares por redes sociais e telefonemas anônimos. “As adolescentes já contam com assistência integral, que inclui atendimento psicológico até que a situação de ameaça não exista mais”, afirmou o secretário da Justiça, Almiro Sena.

Na cadeia – Enquanto isso, os nove integrantes da banda acusados de estuprar as duas garotas dentro do ônibus do grupo, na cidade de Ruy Barbosa, seguem preso no Presídio de Feira de Santa, a 105 quilômetros de Salvador. E sem nenhuma previsão para que deixem o presídio através de ações na Justiça.

Na última quinta-feira (13), o Tribunal de Justiça negou habeas corpus, que foi pedido pelo advogado Leite Matos, que defende o dançarino Alan Trigueiros, um dos pagadoreiros da banda.

Os pagodeiros estão presos no presídio de Feira desde o dia 31 de agosto passado. Laudo realizado pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) confirmou que houve violência sexual contra as duas adolescentes.

O soldado Carlos Frederico Santos de Aragão, acusado de ter dado cobertura ao crime, também teve o habeas corpus negado pelo TJ. O policial, que deve responder a um inquérito administrativo pela participação no caso e por estar trabalhando como segurança da banda, está preso no Batalhão de Choque, em Lauro de Freitas.

Leia também:

Notícias Relacionadas

1 Comentário

Comentários estão suspensos