TWB pode ter contas investigadas e extinção do contrato com o Estado está próxima.

A Agerba constatou que a TWB joga 20% para baixo o número de passageiros e veículo no sistema ferryboat. Por que isso estaria ocorrendo? Caixa dois? Sonegação de impostos? As suspeitas são várias.
REDAÇÃO DO JORNAL DA MÍDIA

Além de perder o contrato de concessão com o Estado da Bahia, pela série de irregularidades praticadas desde 2006 no sistema ferryboat, a TWB pode passar por uma auditagem completa em suas contas. Pelo menos é o que se comenta em setores do governo e da área fiscal. Essas informações, reservadas, apontam que a Secretaria de Fazenda do Estado e a Receita Federal já estariam de olho no caso.

Por enquanto, são informações ainda não confirmadas oficialmente.

Mas não deixa de ser preocupante. Para alguns, é claro.

É altamente recomendável que os ”acionistas” e defensores da companhia das três letrinhas fiquem atentos. Como se diz por aí, o bicho pode pegar.

Fundo do Poço – A TWB está criando muito caso e falando até em R$ 200 milhões de indenização para largar o sistema ferryboat, que, como todos sabem, ela jogou no fundo poço, causando um prejuízo enorme ao Estado da Bahia.

Não tem direito a nada, pois sempre faturou usando as embarcações do Estado sem pagar um centavo sequer. Mesmo assim, não deu manutenção aos navios e não investiu absolutamente nada no sistema. Onde é que a TWB investia o que fatura na Bahia? Isso nunca ficou esclarecido.

Sonegação de Receita? – Na reunião da semana passada na Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa, dados divulgados pela Agerba apontaram que a TWB sonegava os números reais sobre o total de passageiros e veículos transportados no ferryboat.

A Agerba chegou a mostrar que os números que a empresa apresenta são 20% inferiores ao constatados “in loco” pela agência de regulação. Se confirmada a informação, o fato é grave e tem reflexo imediato no recolhimento de impostos federais e estaduais, entre outras obrigações.

Seria um caixa dois? – A verdade é que até janeiro de 2007, no início do governo Wagner, a TWB nunca divulgava os dados sobre o transporte real de passageiros e veículos no sistema. A empresa sempre omitia e na Agerba a circulação dessas informações era totalmente proibida por diretores da época.

Por não dispor de uma ferramenta de informática conectada com os terminais da TWB, a agência de regulação passou a fazer a estimativa de fluxo no ferryboat na boca do caixa, ou seja, nas bilheterias de passageiros e veículos.

E sempre encontrou diferenças incríveis. Fala-se agora em 20%, mas já chegou até a 40%, em 2009.

A falta de confiança na TWB era tanta que a Agerba, de janeiro de 2007 até setembro de 2009, não divulgava os números projetados pela TWB para transporte em finais de semana prolongados. Divulgava somente o que ela (a agência) levantava. Mas depois disso, com a posse de João Leão na Secretaria de Infraestrutura, a coisa degringolou de vez. A TWB passou a controlar inteiramente a Agerba.

Pinto, o perseguido – Seu diretor, o Pinto dos Santos, que hoje se diz ”perseguido” pela Agerba, tinha direito a sala especial para despachar dentro da agência. Dava esporro em público nos diretores da autarquia. Perseguia e tinha direito até a demitir servidores da casa no exercício de suas atividades.

Um verdadeiro absurdo, uma coisa condenável que ninguém entendia como acontecia no governo Wagner. O tráfico de influência usado aberta e escandolosamente pelo dono da TWB na Agerba, Secretaria de Infraestrutura, Casa Civil e com alguns políticos (do PT e da base) foi coisa vergonhosa. Felizmente, a diretoria atual da Agerba deu um basta à imoralidade.

E hoje, quando o governo procura uma saída para melhorar o serviço prestado à população, o que assistimos? Assistimos esse senhor, o Pinto dos Santos, posar de vítima. E o que é mais incrível: com apoio de setores da imprensa, que muito mal informados, nunca investigaram a fundo, talvez por um motivo maior, o verdadeiro mar de lama que envolve, desde 2005, a TWB e o sistema ferryboat.

Notícias Relacionadas

6 Comentários

  1. Fedegoso

    Duvido! Duvido!
    Nada mais do que obrigação. Se tal acontecer?
    Ai! Ai!…mas não acredito.
    É o caminho. Mas!…Duvideodó!

  2. Lenise Ferreira

    botei meu sapatinho, na janela do quintal………….papai noel virá, deixar meu presente de natal !!!!!

    Tb acredito que a TWB será auditada e que haverá punições para os responsáveis pelos desvios de verbas, pelas pastas pretas………….opssssssssssssss…………..

  3. Cássia

    eu não quero meter a culher não mas infelizmente se envolveram né fazer o queê? meter a culher não, mas dentro da própria Agerba tem muita gente envolvida mesmo. eu só posso dizer isso hj o pessoal tava falando no fumódromo quem era que estava a serviço da twb,. e alguns nomes são iincríveis. meu Deus, até eu fiquei preocuppada.

  4. Carlos de Volta

    Aproveitem agora e divulguem o vídeo entregue por Jorge Couceiro ao ex secretários dos Transporte da Seinfra aquele Wilson Brito. Ele mandou queimar o vídeo foi? Com medo de que quem aparecia? hum. cuidado viu nego tem gente que tem cópia por aí? Tinha algum leãozinho no meio?

  5. GENTIL -- O Caranguejo da TWB

    O MAIS REVOLTANTE É QUE ESTOU VENDO O PESSOAL DA TWB SE FECHANDO PRA DIZER AOS EMPREGADOS QUE A AGERBA VAI DEMITIR TODO MUNDO. HOJE MESMO O PUXA SACO FELIPE ESTAVA CONVERSANDO COM OS EMPREGADOS SOBRE ISSO E ESCULHAMBANDO O DIRETOR DA AGERBA CHAMANDO O MESMO DE MALUCO . UMA TREMANDA SACNAGEM. UMA EMPRESA QUE SEMPRE ESCULHAMBOU SEUS EMPREGADOS USAR ESSES ARTIFÍCIOS UMA ESCULHAMBAÇÃO

  6. Tadeu - Funcionário Revoltado

    Puxa saco e pouco para esse sem vergonha do Filipe fica ameasando os funcionario se eles fizer alguma manifestação ele disse que vai demitir com justa causa, esse filho de uma funcionaria da Agerba esta pensando ok ? muito cuidado AGERBA pois ele e leva e tras da TWB.

Comentários estão suspensos