Bento XVI defende no Líbano importância da liberdade religiosa

AGÊNCIA ANSA

Beirute – Em visita oficial ao Líbano, o papa Bento XVI afirmou que “a liberdade religiosa é indispensável à paz”, durante um discurso feito neste sábado a líderes políticos e religiosos.

“É preciso banir a violência verbal ou física. É sempre um atentado à dignidade humana, tanto do autor quanto da vítima”, disse o Pontífice, ao chegar ao Palácio Presidencial de Baabda, onde se reuniu com o mandatário Michel Sleiman.

“Se quisermos a paz, deveremos defender a vida. Essa lógica desqualifica não só a guerra e os atos terroristas, mas também qualquer atentado à vida do ser humano, criatura de Deus”, destacou.

Segundo Bento XVI, “a liberdade religiosa tem uma dimensão social e política indispensável à paz. Ela permite uma coexistência e uma vida harmoniosa através do empenho comum ao serviço de nobres causas e através da procura pela verdade”. Ele disse ainda que “união” não significa “uniformidade”.

Além de Sleiman, o Pontífice se reuniu com o presidente do Parlamento local, Nabih Berri, com o presidente do Conselho de Ministros, Najib Mikati, com representantes diplomáticos e líderes das comunidades muçulmanas e cristãs do Líbano.

O Papa chegou ontem ao país, onde ficará em visita oficial até este domingo.

AnsaLatina

Notícias Relacionadas