STF: Joaquim será presidente e relator, se for necessário

CLÁUDIO HUMBERTO

O ministro relator do processo do mensalão, Joaquim Barbosa, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal, foi questionado por amigos preocupados com os sinais de manobras protelatórias, cujo objetivo seria arrastar o julgamento até 18 de novembro, quando se aposenta o presidente do STF, ministro Carlos Ayres Britto. A aposta do PT é que, ao assumir a presidência, Barbosa deixaria a relatoria. Ledo engano.

Nem pensar – Joaquim Barbosa avisou: se chegar ao ponto de assumir a presidência do STF durante o julgamento do mensalão, não abrirá mão da relatoria.

Ócio precoce – Carlos Ayres Britto vai se aposentar ao completar 70 anos, em novembro, assim como Cezar Peluso deixou o STF no último dia 3.

Pegou bem – A exemplo de Ayres Britto, o ministro Joaquim Barbosa também gostou da escolha Teori Zavascki para a vaga de Cezar Peluso no STF.

Fraquinho – Preterido mais uma vez para a sonhada vaga no STF, Luiz Adams (AGU) agora já pode ter certeza de que Dilma não confia no seu taco. (Coluna de Cláudio Humberto)

Notícias Relacionadas