Durão Barroso defende mecanismo único de supervisão dos bancos europeus

Renata Giraldi
Agência Brasil

Brasília – O presidente da Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia), José Manuel Durão Barroso, defendeu hoje (12) a criação de um mecanismo único de supervisão dos 6 mil bancos da zona do euro. O mecanismo faz parte de um plano de reforma bancária para conceder mais poderes ao Banco Central Europeu.

Em seu discurso anual no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, na França, Durão Barroso defendeu uma integração maior entre os 27 integrantes da União Europeia e sugeriu que o bloco se transforme em federação de Estados-Nações.

“Acredito na democracia. Acredito na democracia nacional, mas também na democracia europeia. Hoje, no século 21, apenas com democracias nacionais os nossos cidadãos não serão capazes de controlar seu futuro”, disse Durão Barroso.

O presidente da Comissão Europeia ressaltou que: “[Precisamos] complementar as democracias nacionais com uma forte democracia europeia”. Segundo ele, a escolha é livre, mas aqueles que discordarem não devem pressionar os que são favoráveis à sugestão.

Durão Barroso disse ainda que a crise na zona euro demonstrou que a credibilidade do euro como moeda única também depende da coerência e da integração das decisões tomadas. “Precisamos de mais união se quisermos manter uma moeda única”, reiterou ele, lembrando que a moeda única é adotada por 17 dos 27 integrantes da União Europeia.

Notícias Relacionadas