Depois de morte de embaixador, Estados Unidos enviam fuzileiros navais à Líbia

Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Após o ataque ao Consulado dos Estados Unidos em Benghazi, na Líbia, que matou quatro pessoas entre elas o embaixador norte-americano Christopher Stevens, o presidente Barack Obama determinou o envio de uma equipe de fuzileiros navais ao país. Os fuzileiros fazem parte da Equipe de Segurança Antiterrorismo.

A decisão de enviar a equipe, que será reforçada por cerca de 50 soldados, e o anúncio de Obama de que aumentará o esquema de segurança em embaixadas e consulados norte-americanos no mundo ocorreram depois que o prédio da representação diplomática em Benghazi foi atacado por manifestantes enfurecidos com o filme Inocência dos Muçulmanos.

Para alguns muçulmanos, o filme supostamente insulta o profeta Maomé. Informações preliminares indicam que o vídeo foi produzido por um californiano de 52 anos, chamado Sam Bacile, e promovido por um expatriado egípcio copta, uma etnia da região que prega o cristianismo.

Os supostos autores do filme são descritos como tendo posturas críticas ao Islã. Um trailer do filme de baixo orçamento foi postado no YouTube, traduzido para o árabe. Os ataques ao consulado resultaram nas mortes do embaixador norte-americano e outros três funcionários.

No Egito, manifestantes escalaram as paredes da embaixada dos Estados Unidos, no Cairo, e substituíram a bandeira norte-americana por uma bandeira islâmica. Condenando os ataques, Obama disse que serão disponibilizados “todos os recursos necessários para garantir a segurança do pessoal na Líbia e reforçar a segurança em todas as representações diplomáticas no mundo”.

Notícias Relacionadas