Lula exige que Dilma e Marta se integrem à campanha de Haddad

CLÁUDIO HUMBERTO

Foi muito dura a conversa do ex-presidente Lula com Marta Suplicy, semana passada, onde não faltaram até mesmo ameaças de rompimento político, caso a senadora não se integrasse imediatamente à campanha de Fernando Haddad (PT) para a prefeitura paulistana. Surtiu efeito: já no dia seguinte Marta apareceria ao lado do petista. O tom foi parecido, embora mais respeitoso, na conversa com Dilma.

Compensação – Lula anda tenso com o risco de derrota do PT na maioria das capitais, mas está feliz com a queda livre de José Serra (PSDB) em São Paulo.

No palanque – Após a longa conversa com Lula, Dilma comunicou ao PRB de Celso Russomano que não poderá mais evitar o palanque de Haddad.

Bottom no peito – Até a conversa com Lula, Dilma planejava participações ocasionais em comícios, Brasil afora. Mas a ordem agora é engajamento total.

Bom para os outros – Além de São Paulo, Lula prioriza BH. E fez Dilma gravar depoimento na TV elogiando Patrus Ananias, cuja presença em seu governo ela vetou. (Coluna de Cláudio Humberto)

Notícias Relacionadas