Farc anunciam em Cuba que vão propor trégua militar à Colômbia

AGÊNCIA ANSA

Bogotá – Os comandantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Iván Márquez e José Santríz serão “por ora” os negociadores com o governo colombiano em um diálogo para o qual convocaram o também guerrilheiro Simón Trinidad, preso nos Estados Unidos.

O anúncio foi feito de Havana, capital de Cuba, onde as Farc também revelaram que “vão brigar na mesa” de diálogo por uma trégua militar e outros temas “essenciais”, como a reforma agrária e mudanças sociais radicais.

Porta-vozes das Farc disseram em uma coletiva de imprensa oferecida nesta manhã que Trinidad “está na mesa de diálogo” pelas Farc. O guerrilheiro, cujo verdadeiro nome é Juvenal Ovidio Ricardo Palmera Pineda, foi capturado e extraditado em 2004 para os Estados Unidos, onde foi condenado a 60 anos de prisão.

Um dos guerrilheiros presentes na coletiva afirmou que Trinidad é “símbolo da resistência” e que sua presença no diálogo será motivo de negociação com o governo do presidente Juan Manuel Santos.

Segundo os porta-vozes, as mesas entre a guerrilha e o governo da Colômbia começará em 8 de outubro em Oslo, na Noruega.

Durante a coletiva de imprensa foi projetado um vídeo no qual o líder máximo das Farc, Timoleón Jiménez, conhecido como “Timochenko”, expôs que o novo processo de paz “representa o triunfo dos ventos bolivarianos de mudança” na América.

AnsaLatina

Notícias Relacionadas