Com queda no faturamento e alta no emprego, resultados da indústria apontam cenário de transição

Mariana Branco
Agência Brasil

Brasília – O faturamento da indústria brasileira recuou 2,4% em julho deste ano na comparação com junho. As horas trabalhadas apresentaram recuo de 0,3% no mesmo período. Por outro lado, o emprego teve alta de 0,2% – terceiro crescimento consecutivo do ano – e a utilização da capacidade instalada ficou em 81,6%, com aumento de 0,9 ponto percentual em relação a junho.

Os dados fazem parte da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada hoje (5) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Na avaliação da entidade, a existência de indicadores tanto positivos quanto negativos em julho pode caracterizar um momento de transição do setor em direção à retomada do crescimento.

“Quando temos um quadro de transição, nem sempre os sinais vão todos na mesma direção. Creio que os indicadores se mostrarão predominantemente positivos a partir dos próximos meses”, afirmou Flávio Castelo Branco, gerente de Política Econômica da CNI.

Na comparação anual, o faturamento cresceu 5,5% ante o mês de julho de 2011. As horas trabalhadas caíram 1,3% na comparação ao ano passado, e a capacidade instalada também apresentou recuo, de 0,4 ponto percentual. O emprego recuou 0,2%.

Para o gerente, as medidas de estímulo adotadas pelo governo – redução dos juros, política cambial favorável às exportações e desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) – devem promover a recuperação moderada, principalmente nos meses finais do ano.

“A equação macroeconômica de câmbio e juros está mais favorável. Esse conjunto de medidas deve mostrar seus efeitos mais para frente. O mercado real tem uma taxa de resposta um pouco mais demorada do que os mercados financeiros”, disse Flávio Castelo Branco.

Notícias Relacionadas